VIAGEM A DARJEELING

VIAGEM A DARJEELING

(The Darjeeling Limited)

2007 , 91 MIN.

14 anos

Gênero: Aventura

Estréia: 23/11/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Wes Anderson

    Equipe técnica

    Roteiro: Jason Schwartzman, Roman Coppola, Wes Anderson

    Produção: Lydia Dean Pilcher, Roman Coppola, Scott Rudin, Wes Anderson

    Fotografia: Robert D. Yeoman

    Estúdio: Scott Rudin Productions

    Distribuidora: Fox Home Entertainment

    Elenco

    Adrien Brody, Amara Karan, Anjelica Huston, Bill Murray, Camilla Rutherford, Jason Schwartzman, Natalie Portman, Owen Wilson, Roman Coppola

  • Crítica

    23/11/2007 00h00

    Os filmes de Wes Anderson são caracterizados por personagens muito bem-construídos, adoravelmente pitorescos e bizarros, como podemos comprovar em filmes como Os Excêntricos Tenenbaums (2001) e A Vida Marinha com Steve Zissou (2004). Suas comédias são especiais graças ao trabalho desenvolvido em torno dos personagens e situações que permeiam seus longas-metragens e isso não é diferente em Viagem a Darjeeling. No entanto, seu novo longa representa um Anderson mais contido e palatável às grandes platéias.

    Por mais contido que o diretor se apresente em seu novo filme, não há o empobrecimento na composição de seus personagens, muito pelo contrário. Viagem a Darjeeling traz a reunião de três irmãos um ano após a morte de seu pai. Francis (Owen Wilson) é o mais velho deles; bem-sucedido, é quem promove este reencontro. Peter (Adrien Brody) é o irmão do meio e está prestes a ser pai. Jack (Jason Schwartzman), o mais novo, é escritor e está sofrendo as dores de uma rejeição amorosa ocorrida anos antes. O trio faz uma viagem à Índia, onde explora não somente o misticismo, religiosidade e a peculiar cultura do país, mas, principalmente, os laços fraternos. Ao tentar planejar tudo o tempo todo, seus personagens acabam tendo suas vidas transformadas nos acidentes e situações peculiares nas quais se metem o tempo todo.

    Mais uma vez, as relações familiares e as personalidades únicas dos personagens guiam este filme de Anderson, como ocorre em seus trabalhos anteriores. A direção de arte é complexa e muito bem planejada, enriquecida pelos coloridos elementos da cultura indiana. O figurino, sempre exagerado de uma forma cool nos filmes do diretor, ganha mais cores e texturas por conta das influências do ambiente indiano. Esteticamente, tanto na direção quanto na forma como os elementos do ambiente são trabalhados, Anderson evolui e é capaz de arrancar de seus atores ótimas atuações - o que não é difícil, já que o trio é notoriamente talentoso.

    Apesar de mais palatável ao grande público, Viagem a Darjeeling não é uma obra menor do cineasta, muito pelo contrário: ainda é possível encontrar elementos marcantes da obra de Anderson neste longa e, ao mesmo tempo, perceber que existe uma evolução. Viagem a Darjeeling ainda é uma comédia agridoce, com personagens repletos de traumas e manias estranhas.

    Em tempo: o belíssimo conjunto de malas carregado pelos protagonistas foi desenhado por Marc Jacobs para a grife Louis Vuitton. O estilista e Anderson são amigos pessoais. Outra informação importante: será exibido junto ao longa o curta-metragem Hotel Chevalier, que desenvolve melhor a história entre Jack e sua ex-namorada, interpretada por Natalie Portman.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus