VIOLAÇÃO DE DOMICÍLIO

VIOLAÇÃO DE DOMICÍLIO

(Private)

2004 ,

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Saverio Costanzo

    Equipe técnica

    Roteiro: Alessio Cremonini, Camilla Costanzo, Saverio Costanzo, Sayed Oashua

    Produção: Mario Gianani

    Fotografia: Luigi Martinucci

    Trilha Sonora: Alter Ego

    Elenco

    Arin Omary, Hend Ayoub, Lior Miller, Marco Alsaying, Mohammed Bakri, Sara Hamzeh, Tomer Russo

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Apesar de ser uma produção italiana, Violação de Domicílio mostra a realidade da guerra entre palestinos e israelenses. O estreante diretor Saverio Costanzo fez um filme imparcial, apesar de à primeira vista não parecer. Ele deu prioridade aos diversos sentimentos das pessoas envolvidas em um conflito que já dura anos, em vez de cair no clichê de perseguições sangrentas sob o ataque impiedoso do inimigo, como costuma acontecer em filmes de guerra.

    Violação de Domicílio mostra a convivência forçada entre uma família palestina e soldados israelenses que passam a morar no segundo andar da casa de Mohammad B. (Mohammad Bakri). A casa deles fica no meio do caminho entre assentamentos israelenses e uma aldeia árabe e é invadida depois de um tiroteio do exército israelense. Os israelenses insistem para a família abandonar a casa, mas Mohammad não aceita. Eles passam a seguir uma rotina imposta pelo exército, até mesmo para garantir a segurança de todos. A família começa a se dividir, alguns querem ir embora, enquanto outros querem lutar. O pai é um sonhador e pacifista, não quer lutar contra os israelenses, mas também não quer entregar sua casa.

    O personagem de Mohammad passa uma linda mensagem de amor, até mesmo pelos inimigos, e esperança de um mundo sem guerra. O elenco de Violação de Domicílio foi muito bem escolhido e mostra que também fora das telas a convivência entre israelenses e palestinos é possível, já que o diretor Saverio conseguiu reunir ambas etnias em seu filme. Por essa razão, as atuações passam muita credibilidade. O pânico, as aflições, os medos e os questionamentos vão além da tela do cinema e contagiam o espectador.

    A história não se limita às tradicionais discussões políticas. Violação de Domicílio apenas mostra a realidade, sem pender para nenhum dos lados. Pelo fato da família palestina ser a protagonista do filme e ter pouco contato com os soldados israelenses, pode parecer que a intenção de Saverio Costanzo tenha sido defender o lado palestino. Mas, por meio da visão da filha mais velha, podemos perceber que os soldados são jovens confusos que estão cumprindo um dever e se preocupam com o que está acontecendo.

    Vale destacar também a fotografia do longa-metragem, que utiliza cenas escuras para amplificar a sensação de terror e medo vivida pela família e até mesmo pelos soldados, causando angústia no espectador na sala fechada do cinema.

    Violação de Domicílio foge do modelo hollywoodiano de mostrar a soberania americana nos conflitos mundiais e deve ser assistido por todos que se interessam pelo assunto, sem interferência de opiniões externas.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus