VJS DE MIANMAR - NOTÍCIAS DE UM PAÍS FECHADO

VJS DE MIANMAR - NOTÍCIAS DE UM PAÍS FECHADO

(Burma VJ: Reporter i et lukket land)

2008 , 84 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Anders Østergaard

    Equipe técnica

    Produção: Lise Lense-Møller

    Fotografia: Simon Plum

    Trilha Sonora: Conny Malmqvist

  • Crítica

    11/02/2010 18h32

    Entre o final do século XIX e meados do XX, a Birmânia, hoje renomeada Mianmar, maior país da região da Indochina, foi colônia da Inglaterra. Seguindo a tendência mundial, alcançou a independência após a Segunda Guerra. Foram apenas 14 anos de democracia. Desde 1962, a História naquele país cuja cultura budista é fortíssima está estagnada. Há 47 anos, o país vive sob uma ditadura implacável.

    Desde então, há alguns esboços de liberdade por lá. Em 1988, uma série de protestos derrubou Ne Win, general que dera o golpe duas décadas antes. Porém, a queda foi precedida de outro golpe, mudança de capital, aproximação econômica com a China e aumento da repressão. No fim de 2007, houve outro sopro de luta pela liberdade.

    É exatamente esse período abordado por VJs de Mianmar - Notícias de um País Fechado, documentário exibido no É Tudo Verdade- Festival Internacional de Documentários em 2009. Entre agosto e dezembro daquele ano, a população, liderada pelos monges, organizou protestos que levaram mais de 100 mil pessoas às ruas de Rangun, ex-capital, para pedir a queda do ditador e o fim da pobreza. Cinco meses de esperanças divulgadas ao redor do mundo. Porém, o final, como mostram os fatos, ainda não é feliz.

    O documentário está estruturado como um thriller, focando o desenvolvimento de uma ação de resistência. O "VJ" do título é referência a video reporters, repórteres que carregaram pequenas câmeras digitais para registrar o abuso dos militares. Por meio da internet, mandavam as imagens para a Noruega e, de lá, a informação corria o mundo.

    O longa é narrado por Joshua, codinome de um militante que se exila na vizinha Tailândia após ser preso e monitorado pela Junta Militar. Ele é a ligação entre Mianmar, Noruega e o mundo. A força do tema é absurda e o diretor norueguês Anders Østergaard opta por deixar as imagens impactarem os espectadores.

    Porém, não é apenas uma organização cronológica de vídeos. Østergaard capricha na montagem para envolver o espectador no contexto. Mesmo que saibamos como esse capítulo da história de Mianmar terminou, o diretor mantém o suspense. Seu objetivo não é apenas relatar, mas berrar para o espectador: "Olha o que está acontecendo, não vamos fazer nada?!".

    Indiretamente, VJs de Mianmar - Notícias de um País Fechado mostra um dos fatores positivos da tecnologia: a difusão da informação. Simultaneamente, resvala em uma conseqüência: em uma era em que a política está em baixa, informação não é suficiente para despertar a consciência e partir para a ação.

    Resultado: emissoras britânicas, norte-americanas, francesas, árabes e outros mostraram constantemente as imagens dos militares espancando manifestantes. Rodou pelo mundo inteiro a foto do monge jogado no rio pela Junta Militar Conselho de Estado para a Paz e o Desenvolvimento. Mesmo assim, os monges e os resistentes de Mianmar ficaram isolados na sua própria luta.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus