VOLTA POR CIMA

VOLTA POR CIMA

(Get Over it)

2001 , 86 MIN.

anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Tommy O'Haver

    Equipe técnica

    Roteiro: R. Lee Fleming Jr

    Produção: Marc Butan, Michael Burns

    Fotografia: Maryse Alberti

    Trilha Sonora: Steve Bartek

    Elenco

    Ben Foster, Carmen Electra, Colin West, Kirsten Dunst, Martin Short, Melissa Sagemiller, Mila Kunis, Shane West, Sisqó, Zoe Saldana

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Ainda não estamos no período das férias escolares, mas mesmo assim já está estreando nos cinemas do Brasil Volta por Cima, um filme cem por cento com sabor de Sessão da Tarde.

    Dirigido exclusivamente aos públicos adolescente e pré-adolescente, Volta por Cima é uma comédia romântica musical, ambientada nos bastidores de uma típica escola norte-americana. A história, mais rasa que um pires, fala de Berke (Ben Foster), um rapaz de bem com a vida, prestes a se formar, e perdidamente apaixonado por sua namorada Allison (Melissa Sagemiller). Porém, tudo desaba na vida de Berke, quando sua amada Allison passa a sair com Striker (Shane West, sim este é o nome do jovem ator que esteve também em Drácula 2000). Quando tudo parece perdido, Berke conhece Kelly (Kirsten Dunst de Entrevista com o Vampiro e As Virgens Suicidas), a única pessoa que poderá "salvá-lo" da profunda depressão. O resto é totalmente previsível.

    Volta por Cima é mais uma prova da incrível capacidade que os produtores norte-americanos têm de fazer várias vezes o mesmo filme. Com certeza muitos já viram roteiro semelhante - para não dizer igual - nas comédias estreladas por Corey Haim, Corey Feldman ou mesmo Matthew Broderick, nos anos 80. Aqui, nada mudou. Ou quase nada, excetuando-se algumas situações de mau gosto que ainda não eram moda nas comédias de 20 anos atrás. Pelo menos, desta vez, elas acontecem em menor número e são bem mais leves que a média atual.

    Volta por Cima é o segundo filme dirigido por Tommy O'Haver, que havia feito um trabalho muito melhor no seu longa de estréia, O Beijo Hollywoodiano de Billy. O filme pode não ser lá grande coisa, mas pelo menos é melhor que o próximo trabalho de Kirsten Dunst a estrear no Brasil, o insuportável Gostosa Loucura.

    19 de setembro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus