ZONA DO CRIME

ZONA DO CRIME

(La Zona)

2007 , 97 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Rodrigo Plá

    Equipe técnica

    Produção: Álvaro Longoria

    Fotografia: Emiliano Villanueva

    Trilha Sonora: GarcíaFernando Velázquez

    Elenco

    Alan Chávez, Andrés Montiel, Blanca Guerra, Carlos Bardem, Daniel Giménez Cacho, Daniel Tovar, Enrique Arreola, Gerardo Taracena, Maribel Verdu, Marina de Tavira, Mario Zaragoza

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Existem muitos pontos em comum entre a Cidade do México e São Paulo. O trânsito caótico é um deles. O filme Zona do Crime tem o grande mérito de expor, com sinceridade quase documental, um outro forte (e lamentável) elo entre estas duas grandes capitais: a desigualdade social que leva à criminalidade.

    Com direção do estreante Rodrigo Plá, esta produção mexicana mostra um condomínio de luxo fortemente armado, murado e monitorado contra um de seus piores "inimigos" que moram bem ao lado: os pobres. São dois universos radicalmente diferentes separados por uma verdadeira estrutura de guerra. Até que o acaso rompe inadvertidamente os limites do bunker: graças a um painel publicitário mal instalado, três moradores da favela conseguem entrar no "Shangri-La de concreto", onde protagonizam, meio que por azar, uma tentativa de assalto seguida de morte.

    É neste momento que se percebe que as diferenças entre os dois universos vão muito além de muros de concreto e câmeras de segurança. O condomínio possui leis próprias, polícia particular e um modo de pensar e agir completamente fora de sintonia com aquilo que se julga aceitável nos quesitos justiça e humanidade. O clima latente de guerra civil entre as duas facções acaba por estourar. Do lado de fora, uma polícia inepta se mostra impotente para mudar a situação. Não traçar paralelos com a realidade brasileira é impossível.

    Zona do Crime tem uma estética provavelmente influenciada por Cidade de Deus, com fotografia granulada e escura, além da já tradicional câmera na mão, que dá o necessário toque documental à trama, ao mesmo tempo em que causa desespero nos portadores de labirintite. O elenco é convincente e o desfecho, aos moldes do cinema europeu, evita a solução fácil.

    Um tema urgente tratado com competência.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus