Doutor Estranho: "A Marvel tem um nível muito superior", diz Rachel McAdams

Atriz vive a Dra. Christine Palmer na trama

03/11/2016 15h25

Por Iara Vasconcelos

A trajetória de Rachel McAdams  em Hollywood é adimirável. A atriz, que começou a carreira fazendo comédias inofensivas como Garota Veneno e Meninas Malvadas, fez sucesso estrondoso com Diário De Uma Paixão e foi ganhando cada vez mais espaço. Seu ápice foi no início de 2016, quando recebeu uma indicação de "melhor atriz coadjuvante" ao Oscar pelo seu papel em Spotlight - Segredos Revelados, que inclusive foi coroado como o melhor filme da noite.

+ Scott Derrickson, diretor de Doutor Estranho, fala sobre Ancião mulher e cena pós-creditos

Agora, McAdams enfrenta mais um desafio em sua carreira: Seu primeiro filme de super-herói. No papel da Dra. Christine Palmer, que ao que tudo leva a crer trata-se da Enfermeira da Noite (Night Nurse), ela se mostra contente em integrar o Universo Cinematográfico da Marvel. Para a estrela, o estúdio "têm um nível muito superior de produzir filmes".

Confira abaixo um bate-papo exclusivo com a atriz, em que ela fala de suas expectativas e revela o que o público pode esperar de Doutor Estranho:

Qual personagem você interpreta e qual a sua relação com Stephen Strange?

Eu interpreto a Dra. Christine Palmer, uma traumatologista de emergência, especialista em cirurgia torácica, que trabalha no Metropolitan Hospital em NovaYork. Stephen é um neurocirurgião muito famoso e bem-sucedido no mesmo hospital em que ela trabalha. Eles são antigos namorados no começo do filme. Nós começamos pelo fim do relacionamento deles, o que oferece uma perspectiva diferente. Não é uma clássica história de amor, o que eu achei muito inteligente. 


Por que você quis interpretar esse papel?

Fazer parte do Universo Cinematográfico da Marvel é fantástico. Eu amo a maneira como eles fazem filmes. É uma ótima chance de trabalhar com os melhores profissionais do mundo. Eles não economizam mesmo. Tudo é da mais alta tecnologia e eles levam o tempo que for preciso para deixar as coisas fantásticas e realistas. Eles têm um nível muito superior de produzir filmes e é sensacional fazer parte disso.
 

Como foi a pesquisa para sua personagem?

Eu li algumas das revistas em quadrinhos. Scott Derrickson, o diretor, me indicou especialmente "O Juramento". Ele achou que essa revista seria uma das mais úteis para a construção da personagem. Nessa história, ela ainda não está totalmente inserida no mundo dos super-heróis. Ela é bastante pragmática, e o seu mundo é o do hospital e o da medicina. Para mim, foi interessante conhecer as histórias em quadrinhos do Doutor Estranho e ver até onde minha personagem pode chegar.

Rachel McAdams e Benedict Cumberbatch


Por que Benedict Cumberbatch é uma boa escolha para interpretar o Doutor Estranho?

Benedict emana naturalmente uma inteligência mordaz, o que faz total sentido para um neurocirurgião conhecido mundialmente. Há algo de muito heroico em sua personalidade. De certa forma, ele parece ser um cara comum com quem o público pode realmente se identificar. E também é muito engraçado, ele agrega muito senso de humor às suas falas e ao set. Mas o mais importante é a sua humildade. Seu personagem, Stephen, desconhece essa qualidade durante muito tempo. Eu acho que o público será obrigado a perdoá-lo por sua arrogância. Por ter essas características inerentes, eu acredito que Benedict dá ao personagem calor humano e bondade, que são coisas que ele precisará no futuro.


Vocês dois se sentem preparados para interpretar cirurgiões?

Sim. Nós fomos acompanhados por excelentes especialistas médicos e Benedict estava sempre fazendo perguntas a eles. Nós trabalhamos em bonecos, não operamos corações e cérebros de verdade, mas ele quer saber tudo o que acontece em cada artéria e válvula, por menor que ela seja.


Como vocês desenvolveram a sua dinâmica?

Agora que terminei o filme, percebi que o relacionamento entre eles era muito mais intenso do que eu esperava. Nós permitimos que esse relacionamento florescesse livremente. Embarcamos em uma grande jornada, que começa quando eles são apenas grandes amigos e colegas. Eles brincam muito entre si e o seu relacionamento é leve. Eles são uma equipe que se complementa em termos de energia e ambição. Eles se desafiam de modo positivo. Mas quando a vida de Strange começa a desmoronar, o relacionamento torna-se bastante tenso. Eles se desentendem, mas acabam se reaproximando de uma maneira inesperada. Havia muito material para explorarmos, o que foi muito divertido.


Em que um elenco como esse acrescenta a um projeto da Marvel?

Um elenco assim eleva bastante o nível de uma produção. Poder trabalhar com esses atores incríveis permite que o público questione menos as coisas e deixe de lado suas reservas. Tilda está sensacional como a Anciã. Ela é realmente extraordinária. É impossível tirar os olhos dela e o mesmo acontece com Benedict. O modo como ele se transforma no Doutor Estranho é fenomenal. Mas todos esses atores experientes elevam o projeto a outro patamar.

Rachel McAdams

Como é Scott Derrickson como diretor?

Tudo funciona perfeitamente em seu set. Não sentimos que estamos trabalhando em algo tão grandioso. Não me pergunte como, mas ele conseguiu criar um set bem intimista. Seu entusiasmo e sua paixão pelo mundo do "Doutor Estranho" é muito clara. Ele fez um trabalho sensacional antes do início do projeto e isso me fez sentir que eu estava em excelentes mãos. Ele sabe o que quer e deixa tudo muito claro. E isso facilita o nosso trabalho. Scott é muito animado e positivo com tudo e tem sido um prazer enorme trabalhar com ele.


O histórico de filmes de horror de Derrickson define o tom desse filme?

Quando falamos sobre o projeto pela primeira vez, ele disse que queria um tom bastante sombrio e melancólico. Ele também falou que haveria uma luminosidade emanando da escuridão de vários personagens ou de partes do set. Então, haverá um obscurantismo arrebatador e inquietante. Mas ele também inseriu bastante humor e toques de leveza, além de muita humanidade. Vai ser uma combinação maravilhosa.


O que podemos esperar desse mundo místico?

Ele apresenta universos paralelos, viagens no tempo, desconstrução e reconstrução. De certa forma, ele abre espaço para toda uma nova percepção sobre o que estamos dispostos a admitir sobre nós mesmos e até que ponto nos permitimos restringir por nossas próprias limitações. Eu acho isso incrível.


Como você acha que o público vai reagir ao filme?

Eu acho que esse será um tipo de filme da Marvel diferente para o público. Em termos de efeitos visuais, haverá algumas coisas que nunca foram vistas. É tudo muito eletrizante. Mal posso esperar pelo primeiro momento em que o público verá Benedict totalmente transformado em Doutor Estranho. Esse filme será uma verdadeira montanha-russa emocional para o público.