"Doutor Estranho é uma viagem alucinante", diz Kevin Feige em entrevista exclusiva

Chefão da Marvel queria fazer filme do herói há muito tempo
03/11/2016 19h03
por Daniel Reininger
Kevin Feige posa para foto

O produtor Kevin Feige, chefão da Marvel Studios, já pretendia trazer Doutor Estranho para o Universo Cinematográfico da Marvel há anos, afinal ele queria explorar dimensões paralelas do multiverso nas telonas a fim de criar novas narrativas. Finalmente ele conseguiu.

Doutor Estranho conta a história do neurocirurgião mundialmente conhecido Dr. Stephen Strange, cuja vida é alterada depois de um terrível acidente de carro destruir suas mãos. Quando não consegue encontrar uma cura por meio da medicina tradicional, ele é forçado a buscar alternativas e acaba em um misterioso enclave conhecido como Kamar-Taj.

Com o novo filme da Casa das Ideias nos cinemas, o executivo falou com o Cineclick sobre a produção.

Confira:

Doutor Estranho é mais sombrio do que os filmes que vocês já fizeram no passado. É algo que queriam fazer há muito tempo?

Kevin Feige: É sim algo que queríamos fazer há muito tempo, pois, para nós, representa todo um novo leque de possibilidades para o Universo Cinematográfico da Marvel. Assim como nos quadrinhos, Doutor Estranho aborda dimensões paralelas, alternativas e o multiverso, o que nos proporciona toda uma nova área de narrativas para trabalharmos. É a riqueza do material do Universo Marvel que nos permite, no nosso 14º filme lançado, abrir esse leque de novas possibilidades.

Existem narrativas mais triviais do Universo Marvel que já vimos em vários filmes. Filmes como Thor, Guardiões e Os Vingadores nos levaram a um nível cósmico, mas sempre houve um lado sobrenatural muito importante nas histórias em quadrinhos da Marvel que nunca foi explorado. E Doutor Estranho é o ponto de partida perfeito.
 

Explique um pouco sobre esses novos aspectos no Universo Cinematográfico da Marvel.

Kevin Feige: Na mitologia de Doutor Estranho, o sobrenatural é baseado na física, na teoria das cordas e na mecânica quântica e, se você entender um pouco sobre qualquer um desses assuntos, saberá que eles também parecem mágica. O filme pode parecer tão inacreditável quanto a existência de dimensões paralelas, a ideia de que pode haver outra dimensão nesse exato momento que nós sequer imaginamos. Pode haver vários mundos. É possível que existam energias desses universos sendo absorvidas pelo nosso próprio mundo.

E Doutor Estranho conta a história de pessoas que se referem a si mesmas como magos. Eles estão cientes da existência de outras dimensões e têm o poder de visitá-las. Eles têm a capacidade de nos defender de certas coisas que podem ser enviadas dessas outras dimensões. Mas eles também podem utilizar os poderes disponíveis nesses outros planos para nos ajudar aqui na Terra e no nosso próprio universo.

Isso nos permitiu criar uma experiência alucinante no melhor estilo Matrix/ A Origem/Hayao Miyazaki (de A Viagem De Chihiro) para o Universo Cinematográfico da Marvel. Veja o que Steve Ditko fez nas revistas em quadrinhos originais do Doutor Estranho. E nós transformamos isso em um gigantesco blockbuster de ação. Esse filme provavelmente também tem uma história individual melhor do que a de qualquer outro personagem da Marvel.

Doutor Estranho

 

Como é ter Benedict Cumberbatch no papel do Dr. Stephen Strange.

Kevin Feige: É necessário um ator espetacular para esse papel e o fato de Benedict Cumberbatch ter aceitado interpretá-lo com o mesmo entusiasmo dos outros atores que já fazem parte do nosso universo foi muito importante.

Nós nos baseamos em Cumberbatch como modelo para a criação desse personagem durante os vários anos em que nós o desenvolvemos. Ele participou de algumas reuniões e antes que eu dissesse qualquer coisa ele falou: "Doutor Estranho?" e nós confirmamos. Demorou para que chegássemos lá, mas o fato de ele ter aceitado participar do projeto foi uma das melhores coisas sobre esse trabalho. Ele é excelente.
 

Comente um pouco a versão cinematográfica de Mordo.

Kevin Feige: Mordo, interpretado por Chiwetel Ejiofor, é um mentor nesse filme. O personagem é o melhor amigo de Stephen Strange. Ele é um cara muito legal que já passou pela jornada que Strange está vivendo agora e, por isso, torna-se um guia para Strange quando ele chega ao templo. Ele lhe apresenta à Anciã, que é a líder dessa organização.

Mordo é um cara normal e, de certa forma, se torna parceiro de Strange. Ele é um homem bom durante todo o filme e isso difere um pouco do Mordo das histórias em quadrinhos. Nos quadrinhos, além de ser seu arqui-inimigo, Mordo sente muita inveja de Strange logo quando ele chega à escola. Mas nós não queríamos seguir esse caminho, era muito previsível.
 

O uniforme do Doutor Estranho é baseado na criação de Steve Ditko e, na tela, é bem diferente dos outros Vingadores. Como foi o desenvolvimento desse visual?

Kevin Feige: O Doutor Estranho tem um uniforme exótico, com uma gola bem alta e uma capa vermelha. Esse uniforme se baseia nas vestes antigas dessa organização da qual agora ele faz parte. Nossa talentosa equipe de desenvolvimento visual usou tudo isso como base para as vestimentas do Doutor Estranho. Elas tinham que ser icônicas por si só. E precisavam ser bem diferentes de qualquer outro uniforme dos Vingadores, pois é muito provável que, um dia, o Doutor Estranho esteja ao lado de Tony Stark, Thor e dos outros Vingadores. Por isso, nós queríamos que ele parecesse de fato fazer parte desta equipe mais ampla e, ainda assim, ter individualidade total e um visual completamente diferenciado.
 

Como Scott Derrickson foi escolhido como diretor?

Kevin Feige: O conjunto da obra de Scott Derrickson é excelente e, como Joe e Anthony Russo, Joss Whedon, Jon Favreau, Kenneth Branagh, os melhores cineastas com quem trabalhamos não necessariamente tinham experiência com o tipo de filme que queríamos que eles fizessem. Mas suas obras estão aí para comprovar seu incrível talento. Eles têm perspectivas únicas, amam o cinema e adoram desafiar os limites do que um filme pode vir a se tornar.

Se você olhar o trabalho de Scott, desde o começo de sua carreira até os seus filmes mais recentes, ele está sempre brincando com os gêneros cinematográficos. Às vezes ele mergulha de cabeça em um gênero, outras vezes ele o subverte. E é exatamente isso que adoramos fazer na Marvel. Nós tivemos algumas reuniões excelentes e percebemos que ele era a pessoa certa para nos conduzir durante a odisseia do Doutor Estranho.
 

O que os fãs podem esperar do filme?

Kevin Feige: Nós temos o elenco mais premiado que já selecionamos e o fato de todos estarem dispostos a vestir seus uniformes e entrar nesse mundo psicodélico conosco comprova a excelência de Scott Derrickson e do material em que o filme se baseia.

Essa é uma viagem alucinante que não pode ser comparada a nenhuma outra jamais feita no cinema. E muito dessa história saiu das imagens das HQs. Steve Ditko é um dos maiores artistas da Marvel, e é incrível que agora nós possamos pegar o que ele fez em meados dos anos 60, esses painéis e capas de revista em quadrinhos psicodélicos, e colocar tudo isso em um espaço tridimensional em uma tela de cinema.

O Universo Cinematográfico da Marvel conquistou muita coisa para nós aqui na Marvel Studios. Nós tiramos o que há de melhor nessas HQs e, sem nenhum pudor ou medo, jogamos tudo na tela. Há imagens e sequências em Doutor Estranho que as pessoas já estão considerando como a viagem mais alucinante que já viram em um filme. Esse era o nosso desafio e eu acredito que a nossa equipe conseguiu superá-lo.

Assista ao trailer do filme que já está em cartaz:

Daniel Reininger

Daniel Reininger

Editor-Chefe

Fã de cultura pop, gamer e crítico de cinema, é o Editor-Chefe do Cineclick.

FAVORITAR

entrevista NÃO FAVORITADA

COMPARTILHE:

COMENTAR

comments powered by Disqus