Entrevista: "Lego marcou a minha vida", diz dublador de animação

Confira o nosso papo com Duda Ribeiro, Priscila Amorin e Renan Freitas, dubladores de Uma Aventura Lego 2

12/02/2019 13h41

Por Thamires Viana

Uma Aventura Lego 2, sequência da animação de 2014, já está em cartaz nos cinemas e reúne os heróis de Bricksburg em uma nova missão de salvar sua adorada cidade. A batalha para derrotá-los e restaurar a paz no universo LEGO levará Emmet, Lucy e Batman a mundos distantes e inexplorados, incluindo uma galáxia repleta de planetas nunca visitados, personagens estranhos e novas músicas viciantes. 

Para saber mais detalhes sobre os personagens e processo de criação de linguagem da animação, entrevistamos Duda Ribeiro, dublador de Batman, Priscila Amorin que dá voz a doce Lucy e Renan Freitas que dubla o corajoso Emmet

+ Leia aqui a nossa crítica

+ Onde assistir Uma Aventura Lego 2 na sua cidade

Confira o bate papo completo com os dubladores:

CINECLICK: Como foi receber o convite para participar do time de vozes em Uma Aventura Lego 2?

Duda Ribeiro: Foi uma grande surpresa, já que o Batman é um personagem icônico para todo o público e claro, eu gosto muito! Não imaginava que faria esse trabalho em animação, mas foi ótimo! Quando pintou o convite, eu fiquei super feliz e aceitei na hora!

Priscila Amorin: Uma delicia! Estou de volta à aventura porque dublei ela no primeiro. Minhas filhas adoram o filme e são apaixonadas pela Lucy, além de, claro, morrer de orgulho da mãe. A personagem é meu xodó porque é criativa, cheia de atitude e de fofura, além de ter um lado muito doce.

Renan Freitas: Cara, foi maravilhoso! Lego marcou minha vida e quando eu era criança meus pais sempre me presenteavam com esse brinquedo. E agora, ser adulto e ter a oportunidade de dublar é incrível! Quando fizemos o teste eu disse que só de ter participado dessa etapa já foi algo gratificante.

CINECLICK: Levando em conta que Uma Aventura Lego é uma franquia que atrai jovens e adultos, existe alguma técnica de dublagem usada para conversar com os dois públicos?

Duda Ribeiro:  Eu acho que não existe uma técnica, mas eu chamaria mais de liberdade para trazer uma conversação entre eles. Além disso, durante o trabalho nós criamos uma percepção sobre o momento certo em que devemos fazer piadas para o público infantil e quando podemos 'afiar' alguma delas para comunicar com os adultos. Acho que cada cena se encaixa em uma linguagem, então fica mais fácil.

Prisicila Amorin: Acho que isso acontece naturalmente durante a dublagem e nós respeitamos o que vem no roteiro. No entanto, temos a liberdade de inserir regionalismos e simplificar os dialetos da melhor forma.

Renan Freitas: Nesse sentido eu acho que o roteiro é tão bom que atrai por si só ambos os públicos. Mas nosso trabalho é tentar inserir elementos, não usar gírias demais... 

CINECLICK: Como foi pra você assistir ao filme e saber que um personagem tão importante para a trama é dublado por você?

Duda Ribeiro: É ótimo, né? Confesso que no começo da minha carreira era bem estranho, mas depois eu fui acostumando com isso. Hoje em dia é bem mais tranquilo e me tornei até menos crítico em relação ao meu trabalho.

Priscila Amorin: É incrível! Eu sou muito crítica, mas de modo geral, amo e prezo o que faço. No entanto, ainda é normal analisar o trabalho e pensar "poxa, deveria ter feito melhor aqui". 

Renan Freitas: Eu assisti durante a pré-estreia e foi gratificante porque minha filha de oito anos fez uma participação na dublagem da animação. Ela ficou vermelha, cheia de vergonha (risos). Mas é muito legal assistir junto com público porque dá para sentir como será a reação da galera.

CINECLICK: Você realizou algum preparo especial antes de dublar o filme?

Duda Ribeiro: Não. Confesso que deveria ter mais cuidados. Mas geralmente não faço absolutamente nada, exceto evitar gritos! (risos)

Priscila Amorin: No caso da Lucy não fiz nada, já que a voz dela é doce, suave... Estou na profissão há 24 anos, então já tenho prática. Mas o preparo vai depender muito do personagem. Alguns trabalhos exigem mais cuidados.

Renan Freitas: Eu tenho cuidados rotineiros. Então procuro sempre dormir bem, repousar a voz, não tomar café, não comer chocolate e aquecer a voz antes de começar a dublagem.

CINECLICK: Qual dos personagens que você dublou é seu favorito?

Duda Ribeiro: Além do Batman, eu também gostei muito de dublar o personagem Solomon Northup vivido pelo ator Chiwetel Ejiofor em 12 Anos De Escravidão.

Priscila Amorin: São muitos, mas acho que a Neytiri - papel de Zoe Saldana em Avatar - porque ela tem um fonema perfeito e há o dialeto próprio criado para o filme. Isso aumentou o desafio e foi gratificante. Mas tem a Lucy, claro, a Nicole Watterson de O Incrível Mundo de Gumball...

Renan Freitas: Existem vários, mas o Emmet é especial porque o Lego foi um brinquedo que marcou muito a minha infância. Então tem uma nostalgia por trás desse trabalho.

Uma Aventura Lego 2 está em cartaz nos cinemas.