Exclusivo: "É um filme bem dark", diz Alice Braga sobre Novos Mutantes

Conversamos com a atriz durante a CCXP

27/12/2017 12h59

Por Thamires Viana

Alice Braga é uma das principais atrizes brasileiras. Já participou de Eu Sou A LendaElysium, Predadores e outras produções internacionais, além, claro, de fazer sucesso em Cidade De Deus. Agora, ela faz parte do universo dos X-Men no filme Novos Mutantes. No papel da Dra. Cecilia Reyes, ela vive uma médica e mutante com a habilidade de criar um campo de força ao seu redor. O filme dirigido por Josh Boone (A Culpa É Das Estrelas) deve estrear em fevereiro de 2019 e a atriz falou com a gente sobre o projeto. Confira o bate-papo:

Você pode contar um pouco sobre a sua personagem? Como foi sua preparação para vivê-la?

Alice: Foi uma alegria poder fazer essa personagem muito especial e diferente de todos os outros filmes que já fiz. Ela a é uma médica que recebe os jovens mutantes no centro de recuperação. É ela quem guia os jovens e os ajuda a entender melhor todo esse universo e a lidar com a não aceitação da sociedade. A personagem é um desafio, porque é muito diferente de tudo que eu já fiz. A preparação foi diferenciada justamente porque essa personagem é fisicamente diferente das outras que interpretei, não usa a força, é mais interiorizada.

Quais foram as dificuldades para encontrar o seu caminho como atriz conceituada em Hollywood?

Alice: Eu acho que o idioma é a principal barreira, mas muita coisa mudou e o latino já tem conquistado outros papéis e ganhado destaque. Sinto que Hollywood está cada vez mais aberta aos estrangeiros. E sempre faço questão de dizer que não sou uma atriz internacional, hollywoodiana, eu sou uma atriz. Ponto. Surgiram e continuam aparecendo oportunidades maravilhosas em Hollywood, mas também estão acontecendo coisas muito bacanas no Brasil. E onde houver trabalho, eu irei. E fico muito feliz com as coisas que estou conquistando.

.
Como foi trabalhar com o Henry Zaga? Vocês já se conheciam antes das gravações?

Alice: Eu fiquei muito feliz quando conheci o Henry e quando soube que um brasileiro faria esse personagem que também é brasileiro. Eu só o conheci já na preparação para o filme e fiquei realmente entusiasmada, porque estava curiosa para saber quem iria interpretar esse personagem tão forte, tão brasileiro e tão importante, que tem uma força diferente dos outros personagens.

Onde 'Novos Mutantes' se encaixa em relação aos outros filmes do X-Men? Existe a possibilidade de sua personagem aparecer nos próximos?

Alice: Isso é uma surpresa (risos)! É legal que nos quadrinhos também era surpresa. De repente, você vê um ou outro personagem surgindo. A grande graça desse filme é a surpresa. 

O terror inserido em Novos Mutantes é algo praticamente novo nesse gênero. Legion, série de X-Men lançada em 2017, traz essa tensão psicológica bem parecida com o longa. Há alguma relação entre as duas produções? Você acredita que o cinema está indo para um caminho onde os filmes de super-heróis tendem a ser mais do que seres poderosos enfrentando os vilões?

Alice: Realmente, é um filme bem dark. Nos baseamos na obra de Chris Claremont, que é mais sombria que os outros quadrinhos de X-Men. Acho que é um novo gênero dentre de X-Men, porque tem esse lado de terror. E o filme tem outra particularidade: parecia que a gente estava fazendo um filme independente, de amigos. E não de super-herói, numa grande franquia. O Josh, o diretor, queria exatamente isso, para gerar uma maior conexão das pessoas.

E como foi trabalhar com Josh Boone?

Alice: Foi um trabalho de grande harmonia. O Josh é muito aberto, então conversamos sempre muito, trocamos ideias. E ele criou um clima de muita intimidade e cumplicidade entre o elenco e a equipe. Por isso também que disse que parecia que realmente estávamos fazendo um filme independente, sem pressão, todos buscando o melhor. E agora brinco que eu e o Henry estamos tentando convencê-lo a fazer a continuação no Brasil.

O que você tem planejado para o futuro?

Alice: Agora em janeiro eu gravo a terceira temporada de 'A rainha do sul', que é exibido nos Estados Unidos pelo canal por assinatura USA Network. Além disso, estou produzindo o documentário sobre o bailarino brasileiro, Thiago Soares, chamado 'Primeiro Bailarino' e também a nova série brasileira da Netflix, Samantha!.