Gerard Butler (Exclusivo)

01/10/2009 11h29

Por Da Redação

Durante entrevista de Gerard Butler em Nova York, no final de agosto, o ator falou sobre seu personagem Kable no longa Gamer, que estreia aqui nos cinemas brasileiros em 2 de outubro. A Imagem Filmes, distribuidora do filme no Brasil, disponibilizou com exclusividade ao Cineclick o bate-papo. Confira:


Sobre o que Gamer fala?
Gamer
fala de um futuro próximo, no qual uma nova forma de entretenimento emerge. Uma nova forma de jogar na qual o jogador tem a chance de controlar a vida de outro ser humano. Meu personagem, Kable, é um herói do popular jogo on-line Slayers, o qual milhões de pessoas no mundo acompanham. Ele está lutando pela sua sobrevivência para deixar o jogo e se reunir novamente à família.

O que o atraiu para fazer o filme?
Amei todo o conceito do filme, assim como o roteiro – o mundo fascinante no qual o filme se passa. O roteiro de Mark Neveldine e Brian Taylor foi muito bem escrito e fácil de visualizar.
Sabia que o filme não seria só de ação pronta, mas também instigante. Seria um filme de ação legal e divertido, mas com mensagens mais profundas e temas que são muito relevantes para o mundo em que vivemos agora. Esta combinação é um presente para qualquer ator.
Também já conhecia o Mark e o Brian há tempos e sabia que eles são inovadores como contadores de histórias. Queria a oportunidade de trabalhar com eles, pois sabia que fariam um filme de ação inteligente e divertido.

O que o atraiu para o papel de Kable?
Também gostei muito do meu personagem, Kable. Ele é basicamente um “gladiador” dos tempos modernos. Gostei da sua calma, suavizada pela masculinidade; seu poder e o ar de misterioso. Foi muito excitante fazer este personagem, sentir sua dor e tristeza interiores.

Este filme o ajudou a se libertar, física e mentalmente, por que você estava agindo sob o controle de alguém durante a maior parte do filme?
Tive de aprender a me movimentar e a pensar como um soldado. Isso só acontecia durante o jogo. O restante do tempo era só pensar como Kable. O personagem era complexo porque, apesar dele ser controlado fisicamente, ele não estava sob controle emocional, o que fez Kable ser muito mais interessante no jogo.

Você jogou algum game para se preparar para o papel? Os diretores lhe deram algum console de Xbox?
Já tinha um Xbox que eu ganhei de presente. Tinha tentado jogar Halo e outros games, mas eu não era muito bom, assim nunca fui de jogar muito. Mas, para o papel, eles montaram uma Xbox na minha casa, um no meu trailer - praticamente em todo lugar para que pudesse ter uma compreensão mais profunda dos jogos mais populares do mercado.

Os diretores nos contaram que você jogou Call of Duty para mergulhar no personagem mais depressa, é verdade?
Sim. Foi terrível. O triste é que não era a primeira vez que tentei me aprimorar no jogo. Tentei também durante as filmagens de 300. Tenho um velho videogame com uns 60 jogos. Tenho Space Invaders, Pac-Man, Defender, Asteroids... estes jogos são pra gente. Eu preciso praticar muito nos jogos mais recentes.

Você prefere atuar em frente a uma tela verde (chroma key) ou na vida real?
Vida real. Apesar de 300 ter sido um grande projeto, a tela verde não é muito divertida em termos de performance real. Isto é o que difere Gamer de outros filmes de ação. É visualmente impressionante, mas quase tudo foi gravado como acontece.

Qual foi a coisa mais perigosa que você experimentou durante as filmagens?
Tudo. Foi um desafio e também muito gratificante. Como Mark e Brian estão sempre filmando de vários ângulos e estão constantemente no meio da ação, para que a cena pareça tão real quanto possível, nós (os atores) temos de fazer o mesmo esforço. Foi, realmente, muito emocionante estar no set todos os dias.