Juan dos Mortos: Diretor fala sobre filme de zumbis cubano

Produção faz sátira divertida ao regime de Fidel Castro

18/06/2013 12h10

Por Roberto Guerra

Foto: Rogério Resende

Ator Jorge Molina e o cineasta Alejandro Brugués: primeiro filme independente cubano

A comédia Juan dos Mortos, que chega aos cinemas do país nesta sexta (21), é mais que o primeiro filme de zumbis cubano. É também a primeira produção independente do país, realizada sem recursos provenientes do Instituto Cubano de Artes e Indústria Cinematográfica. Veio da Espanha o dinheiro que bancou a divertida - e repleta de crítica social - história de um apocalipse zumbi em plena Havana.

Dirigido por Alejandro Brugués, a produção surpreende por fazer uma sátira interna sem precedentes ao regime de Fidel Castro. "O humor e o terror são dois gêneros que servem bem às críticas sociais", disse Brugués ao Cineclick em 2012, quando o filme foi exibido fora de competição durante o Cine Ceará, em Fortaleza. Na ocasião o cineasta revelou não ter enfrentado resistência para filmar em Cuba dado ao tom crítico de seu filme. "Foi fácil. Não tive nenhuma dificuldade. Eles nos apoiaram em tudo. Fomos autorizados a fechar ruas, entre outras coisas". 

Juan dos Mortos começa com dois amigos pescando numa barca improvisada quando um deles sugere aproveitar a embarcação e fugir para Miami. O outro responde que em Miami terão de trabalhar; em Cuba basta pescar. Em seguida, lançam o anzol e pescam um zumbi. Pouco tempo depois toda a cidade está tomada pelos mortos-vivos. Oportunistas, e no melhor estilo "livre iniciativa", os amigos criam uma empresa de exterminação de zumbis: a "Juan dos Mortos – Mate Seus Entes Queridos".

Brugués confirmou que seus zumbis podem ser vistos como uma metáfora por estarem em decomposição tanto quanto o conceito de "novo homem" pregado pela Revolução Cubana. "O filme critica a ideologia que previa construir heróis cubanos. Esse conceito político perdeu completamente o significado para a população hoje", afirmou. 

Foto: divulgação

Juan de los Muertos: sátira sem precedentes ao regime de Fidel Castro

O cineasta revelou também ter sido influenciado pelos quadrinhos que serviram de inspiração para a série televisiva The Walking Dead. "Gosto do seriado, que é do Frank Darabont, um dos meus cineastas favoritos. Quando estava fazendo meu filme assistia à série e pensava: 'Meu Deus, como vou fazer para superar isso'. É complicado quando um ídolo seu está fazendo um trabalho parecido com o que você está realizando".

Protagonista do filme no papel de Lazaro, Jorge Molina participou do bate-papo e revelou à reportagem haver mudanças imperceptíveis em Cuba para quem está de fora. "Há dez anos seria impossível fazer este filme. Não só houve flexibilização do regime, mas já não existe tanto controle sobre tudo como havia antes". Para o ator, que também trabalha como professor em Havana, a ideologia revolucionária não faz mais sentido para as novas gerações: "Todos meus alunos querem ir embora de Cuba, pois não enxergam saídas por lá", concluiu.

Juan dos Mortos estreia em São Paulo neste fim de semana e depois segue para as outras capitais do país.