Lourenço Mutarelli (Exclusivo)

25/05/2009 17h40

Por Angélica Bito

Assessor de imprensa: Olha, o Heitor ainda não chegou. Enquanto isso, você quer entrevistar o Lourenço Mutarelli, que fez as animações do filme?
Repórter: Nossa, quero. Onde ele está?
Assessor: Atrás de você.

E lá estava Lourenço Mutarelli, dono dos desenhos de traços fortes e sombrios que ilustram as animações presentes no longa Nina, de Heitor Dhalia. Quadrinista cujo trabalho é mais do que reconhecido entre os fãs de HQs no Brasil, Mutarelli é um homem que, na verdade, não parece fazer o que faz. De aparência frágil e tímida, esse homem é, definitivamente, daqueles que escondem o jogo. Se eu estivesse vagando pelo Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo naquela tarde, sem ser alertada pelo assessor sobre quem estava encostado na parede atrás de mim, certamente essa oportunidade teria passado batido.

Seu trabalho nas revistas em quadrinhos é caracterizado pela mesma angústia que ronda a Nina do filme. Por isso, ninguém mais perfeito do que ele para fazer as ilustrações do longa, como você pode conferir em Transubstanciação e O Dobro de Cinco, alguns de seus quadrinhos publicados. O fato é que bati um papo rápido com um dos maiores nomes entre os quadrinistas brasileiros, cujo livro O Cheiro do Ralo está sendo adaptado por Marçal Aquino e Dhalia para que este seja o segundo filme do diretor. Confira.

Como você se envolveu com o projeto de Nina?
O Heitor tinha acabado de comprar os direitos de adaptação de um livro meu, O Cheiro do Ralo, e na época ele estava finalizando o roteiro de Nina. Foi quando ele conheceu meu trabalho como quadrinista e me convidou para fazer.

Como foi a experiência de trabalhar com cinema pela primeira vez?
Foi muito boa, bem legal. Eu acompanhei as filmagens, a escolha do elenco.

Como você se inspirou para fazer os desenhos do filme?
Acompanhava as filmagens. Além disso, eu e o Heitor conversávamos muito sobre isso. Encontramos umas ilustrações de uma edição antiga de Crime e Castigo e, em cima disso, fomos chegando a um traço que fosse meu e, também, se aproximasse a isso que estávamos querendo.

O que você achou de ver seus desenhos no filme?
Achei bem interessante.

Você pretende fazer outras coisas com cinema?
Com animação não, eu não gosto de animação. Só diz essa porque o trabalho me permitiu que não fosse algo convencional, parecido com animations porque acho isso muito bobo, mas sim algo parecido com anime (animações japonesas).