Star Wars - O Despertar Da Força: Entrevistamos o produtor Bryan Burk na CCXP

Produtor está no Brasil pra divulgar novo filme da saga espacial

06/12/2015 12h23

Por Daniel Reininger

Bryan Burk (Star Trek) é produtor do novo Star Wars, braço direito de J.J. Abrams na produtora Bad Robot e um dos caras mais gente boa do show business. Geek, fã da saga, especialmente de O Império Contra-ataca, Burk ama o que faz e, na conversa com o Cineclick durante a Comic-Con Experience, que acontece em São Paulo semanas antes da estreia de O Despertar Da Força, fica claro que a franquia espacial está em boas mãos.

Fãs

Para começar, Burk confirmou algo que muitos fãs queriam saber desde o anúncio do longa: "O filme preferido de J.J. Abrams é Uma Nova Esperança então temos muitos elementos desse longa em Despertar da Força, mas também temos Lawrence Kasdan, que escreveu O Império Contra-ataca, então o tom do novo filme é uma mistura de Uma Nova Esperança e Império Contra-Ataca, eu diria", revela

+ Veja nosso especial de O Despertar Da Força

Ele ainda comentou sobre os seis filmes da franquia. "Eu amo Episódio V, mas quando era pequeno era o que eu menos gostava, porque eu me lembro de pensar logo depois do final 'terei que esperar três anos para ver como termina?' Agora, você só precisa esperar dois anos, mas acho que os três filmes originais são ótimos por diferentes motivos. Já no caso dos prólogos a relação é diferente, eu já era um adulto quando saíram, mas acho que uma nova geração os abraçou de alguma forma", revela.

Star Trek e Star Wars e pressão

Burk ainda se espanta com o fato de trabalhar em duas das principais franquias espaciais da história, Star Trek e Star Wars. "Sou parceiro de produção de J.J. Abrams há um bom tempo, mas quando a atual presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy [presidente da Lucasfilm], o chamou para conversar e ele me disse: 'Nós vamos produzir o novo Star Wars e eu vou dirigir', entramos em uma rotina maluca. É engraçado, porque eu me lembro de falarmos: 'O quê?' É meio louco tudo isso e nós não começamos a ter compreender isso até pouco tempo atrás!", revela.

Han Solo

Sob a pressão para conseguir a melhor história, conta: "A trama começa 30 anos após O Retorno De Jedi, mas nossa intenção também é atrair pessoas que nunca viram Star Wars e é aí que entram os novos personagens. Afinal de contas, Skywalker, Han Solo, Império são elementos que os fãs reconhecerão imediatamente, porém, quem nunca assistiu, poderá acompanhar novos personagens que também precisarão entender melhor esse mundo, esse foi o jeito que achamos para diferentes públicos se relacionarem com a franquia", explica.

+ Veja o que rola na CCXP

Burk revela a responsabilidade de assumir O Despertar da Força. "Minha preocupação era de não estragar tudo. Estávamos numa situação única, muitos de nós éramos fãs de Star Wars e falávamos muito sobre como foi a experiência de ver a trilogia clássica na telona pela primeira vez - queríamos recuperar isso. Simultaneamente, tivemos a sorte de trabalhar com Kasdan, que vivenciou a saga de forma diferente, afinal ele já era um adulto quando os filmes saíram e estava envolvido com a franquia. Ele pôde nos explicar por que fez o que fez. Isso nos ajudou muito", disse.

É um filme de fãs para fãs, mas a nova geração sempre foi fator importante para os produtores. "Acredito que outros cineastas de nossa geração fariam um filme muito similar ao nosso, afinal, nós sabemos o que queremos ver. Todos os envolvidos são fãs ou trabalharam nos filmes originais e sabíamos o que queríamos de O Despertar da Força. Não sei o que vai acontecer nos próximos meses, mas acho que as pessoas vão se sentir recompensadas pelo que fizemos", afirma.

Produção, diversidade e George Lucas

Sobre o envolvimento de George Lucas, Burk revelou que quando assumiu a produção, o criador da saga já não estava mais na produção. "No começo, Kathleen Kennedy (E.T. - O Extraterrestre), Michael Arndt (Toy Story 3), Lawrence Kasdan, J.J. Abrams e eu conversávamos sobre o que queríamos e como os personagens poderiam ser e isso se tornou O Despertar da Força. Obviamente, existem possibilidades infinitas de histórias para essa galáxia e não posso imaginar a sensação de Lucas de criar algo assim e, de repente, passar adiante e confiar em outras pessoas", explica.

O produtor ainda comentou a diversidade do filme e explica que foi algo natural. "Estive envolvido em diversos projetos com protagonistas femininas [como Alias e Fringe] e acho que o processo é o mesmo: O melhor personagem, às vezes, pode ser um homem, às vezes, uma mulher, afinal o mundo não é feito apenas de homens brancos. George sempre deixou claro que a galáxia possui muitas pessoas e aliens, logo temos uma mulher, um negro, um latino. Espero que esse tipo de escolhas continuem naturalmente, sempre pensamos 'Rey (Daisy Ridley) é uma personagem incrível, que por acaso é uma jovem mulher", afirma.

Star Wars: O Despertar da Força

Logo após revelar que as pessoas ficarão espantadas quando verem como Rey é espetacular, falou sobre o retorno dos personagens clássicos. " Harrison Ford é incrível, ele pode se tornar quem quiser. Ele é Indiana Jones e Rick Deckard e Han Solo, mas no set ele tinha uma facilidade incrível de ser apenas Han Solo. O mesmo vale para Carrie Fisher como Leia e Mark Hamill como Luke. Eles viveram esses personagens por muito tempo e é impressionante vê-los retornar aos papeis de forma tão natural", conta.

Burk falou ainda sobre sua visão sobre a franquia. "Star Wars é uma história de fantasia com elementos de ficção-científica e nossa intenção era criar algo com apelo para todos. Criamos algo além de naves e batalhas e é um pouco como Titanic, que todos achavam que era um filme sobre o naufrágio, e, sim o navio afunda, mas temos um grande romance, possui crítica social, é um experiência. Star Wars para nós é uma experiência. Muitas pessoas de todas as idades e gêneros vão se espantar com o novo filme, pois possui apelo a todos - essa é nossa intenção", disse.

Mistérios

O produtor contou ainda que está surpreso com a manutenção dos segredos em torno do filme. "Segredos existem porque muitas vezes ainda estamos no processo de criação. Imagine você escrevendo esse texto e alguém opinando ao longo de todo o processo e apontando erros, você vai virar e dizer 'ei, eu ainda não terminei'. Então, muitas coisas simplesmente não revelamos porque podem mudar", explica.

Star Wars: O Despertar da Força

"A diferença é que, nesse caso, algo incrível aconteceu: a equipe de Marketing soube mostrar pouco e foi capaz de não revelar o filme inteiro a cada trailer – algo raro atualmente. Agora, a menos de três semanas da estreia, temos menos de cinco minutos de cenas reveladas. Pense bem, quando temos a oportunidade de ir ao cinema sem saber absolutamente tudo sobre um filme? Estamos tão perto e as pessoas querem manter assim. Lembro-me de ser criança na fila para ver O Retorno de Jedi e ler a HQ que saiu uma semana antes descobrir minutos antes de entrar no cinema que Leia e Luke eram irmãos, fiquei surpreso, claro, e é impressionante que hoje em dia consigamos manter segredos por tanto tempo. É algo maior que nós", finaliza.

Star Wars: O Despertar Da Força é dirigido por J.J. Abrams e se passa trinta anos após Star Wars: Episódio VI - O Retorno De Jedi. O terrível Império Galáctico não existe mais, porém, a galáxia está em guerra entre a opressora Primeira Ordem e a Resistência.

Marcado para estrear no Brasil em 17 de dezembro, o longa traz de volta personagens clássicos da franquia, como Han Solo (Harrison Ford), Leia (Carrie Fischer), Chewie (Peter Mayhew), C3PO (Anthony Daniels) e Luke Skywalker (Mark Hamill). Entre os personagens novos estão Rey (Daisy Ridley), Finn (John Boyega), Kylo Ren (Adam Driver) e Poe Dameron (Oscar Isaac).

Assista ao vídeo divulgado por Burk no painel de Star Wars na CCXP 2015: