Thiago Mendonça (Exclusivo)

25/05/2009 17h40

Por Angélica Bito

O nome de Thiago Mendonça ainda é desconhecido, mas isso está prestes a mudar com 2 Filhos de Francisco - A História de Zezé Di Camargo e Luciano, cinebiografia dos cantores sertanejos que tem tudo para ser a maior bilheteria do cinema nacional este ano. Neste filme, o ator interpreta Luciano na fase adulta e foi escolhido graças à semelhança física, a qual o ator confessa nunca ter reparado até então. Em Gramado por conta a exibição especial de seu primeiro filme no Festival de Cinema, Mendonça reservou um tempinho para um bate-papo com o Cineclick. Confira.

Ansioso para esta exibição especial de 2 Filhos de Francisco em Gramado?
Sim, bastante. Minhas expectativas são as mais positivas possíveis graças às respostas que temos tendo nas outras prés que fizemos em São Paulo e no Rio de Janeiro. A galera está recebendo muito bem o filme, esta história do preconceito pelo gênero musical está sendo vencida, até mesmo porque o filme transcende essa coisa, não é somente sobre o sertanejo, mas sim uma história de vida.

Na entrevista coletiva em São Paulo, você disse que não era um fã do gênero. Isso mudou depois do filme?
Até mesmo sem dar o play a gente sempre acaba ouvindo sertanejo e agora ele faz parte do meu porta-CDs (risos). Eu gosto e conheci esse mundo que o filme passa. A gente ter ido para o interior por causa da produção também contribuiu. Essas músicas geralmente são um espelho da realidade que eles vivem. Criei tanto carinho pelo lugar que não tem como não gostar.

Como foi o laboratório que você fez para o filme?
A pré-produção do filme começou a acontecer bem antes das filmagens.

E o Luciano acompanhava esse processo?
Não, pra mim ele ainda era um personagem, depois que o conheci. Mas fiquei três meses em Pirenópolis (GO) para conhecer as pessoas, aprender a forma delas falarem, que é bem diferente. Foi daí que parti para compor o personagem. Também procurei conversar com a galera jovem de lá para tentar inserir o Luciano naquele contexto que é muito diferente.

No dia da coletiva de imprensa em São Paulo, o Zezé Di Camargo ainda não tinha visto o filme. Ele já viu?
Sim, viu naquela noite mesmo, depois da coletiva. Eu estava sentado na mesma fileira que ele no cinema e vi que se emocionou bastante. Mas também não tem como, né? Se nós já nos emocionamos, imagina ele que viveu aquilo tudo.

Esta é sua estréia no cinema. Já recebeu algum convite para outra produção?
Não, ainda não, mas adorei fazer cinema. Aprendi muito com todo esse processo, especialmente com o Breno (Silveira, diretor do longa) e foi uma experiência completamente diferente do teatro, onde comecei.