CRÍTICAS

Costa da Morte

É impressionante pensar que Costa da Morte é o primeiro filme de Lois Patiño. A maturidade estética presente neste documentário tão sensível parece resultado de um diretor com anos de experimentação. Vencedor de vários prêmios em festivais realizados por todo mundo, a obra mostra uma bela reflexão sobre memória e paisagem, cenário da vida cotidiana dessas pessoas.

Leia mais

Relatos Selvagens

Relatos Selvagens, filme que abriu a 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e agora estreia em circuito comercial é um fenômeno. Aclamado pela crítica, sucesso de público (mais de 2,8 milhões de espectadores na Argentina) e postulante do país a uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro, o filme de Damián Szifron talvez seja uma unanimidade justamente por não fazer concessões ao espectador, revelando diante de nossos olhos sentimentos tão naturais a todos nós.

Leia mais

Ausência

O cinema nacional muito tem experimentado nos últimos anos e Ausência, novo longa de Chico Teixeira (A Casa De Alice), segue esta corrente. Ao permitir-se certas ousadias na forma e no conteúdo o longa ganha valor, apesar da inconsistência de seu roteiro e de suas atuações.

Leia mais

Casa Grande

A família que protagoniza Casa Grande diz muito sobre o Brasil. Reacionários, dominadores e acostumados a relações de servidão, eles refletem muito do modo de viver e pensar das elites dominantes desse país. Em seu primeiro longa de ficção, Fellipe Barbosa traz uma crítica mordaz, inteligente e muito bem construída das relações de trabalho e afeto construídas por essa realidade.

Leia mais

3 Belezas

Com a tradição da Venezuela nos concursos de Miss, não é de se estranhar que a competição faça parte do imaginário de tantas meninas que nascem no país. É justamente essa realidade que inspirou 3 Belezas, uma comédia ousada que, com viés crítico, tenta desconstruir essa verdadeira obsessão.

Leia mais

El Cuarto Desnudo

Não há como negar que El Cuarto Desnudo é um documentário bem intencionado. Cru, sem artifícios e com pouca pós-produção, o trabalho da diretora Nuria Ibáñez abre espaço para discutir uma crescente onda de problemas psicológicos enfrentado por jovens e adolescentes da Cidade do México. Mas o problema está na forma: exagerando na exposição de seus protagonistas, o longa não ultrapassa o retrato horizontal e sem propósito.

Leia mais