Motivos para ver Blacklist, série policial de sucesso que está na Netflix

Sétima temporada chega ao catálogo do streaming no dia 18 de julho

13/07/2020 18h11

Por Daniel Reininger

Os melhores dramas sobre crime precisam ser especiais para se destacarem em meio a tantos programas do gênero. E uma das melhores séries atuais é The Blacklist, que dá uma mudada no formato padrão das séries sobre investigação ou espionagem. E não é apenas para os amantes das histórias de detetive, é obrigatório para quem gosta de algo bem feito e com personagens cativantes.

James Spader é o grande astro da série com seu anti-herói carismático e cativante Raymond 'Red' Reddington, mas ele é apenas uma engrenagem numa série que funciona muito bem. O programa está disponível na Netflix e a gente te dá alguns motivos para começar a ver hoje mesmo, antes da estreia da sétima temporada por lá:

A premissa

O que chama a atenção logo de cara em Blacklist é a premissa. A ideia central é que Red é um ex-agente e agora criminoso muito procurado, que se entregado ao FBI do nada. Em troca de sua liberdade, ele compartilha nomes dos criminosos mais perigosos do mundo.

O fato de Red trabalhar apenas pelos seus próprios interesses e os outros personagens não poderem confiar nele dá ao programa uma variedade dramática realmente interessante, que os roteiristas sabem bem como explorar ao longo das temporadas. E quando o personagem mostra seu lado humano, é ainda melhor.

Personagens

Uma vez que ele trabalha com o FBI, Red insiste em fazer parceria com a novata Elizabeth Keen (interpretada por Megan Boone, estrela de Law & Order: Los Angeles). A química dos dois é inegável e ela funciona como uma ponte para o público, que precisa de informações para entender tudo que está acontecendo, mas isso é feito de forma bem natural.

Além deles, todo o elenco de apoio funciona muito bem, principalmente Donald Ressler, interpretado por Diego Klattenhoff, Harold Cooper, por Harry Lennix, e Tom Keen, vivido por Ryan Eggold. Em geral, a dinâmica entre os personagens é muito boa.

Os mistérios

The Blacklist é muito mais do que a solução do caso da semana. A medida que a trama avança, vários mistérios se acumulam e deixam o espectador curioso com as verdadeiras motivações de Red, sua verdadeira relação com Elizabeth e com tantos criminosos. Uma pergunta central é: Porque, de repente, Red decide ajudar o FBI? A série mantém bem esses mistérios e ainda mantém o equilíbrio certo entre a narrativa central e o crime da semana, tudo para manter as coisas interessantes a longo prazo.

É imprevisível

Os programas de crime costumam ter um tom sombrio ou pesado. Felizmente, esse não é o caso da The Blacklist, pois o ritmo é sempre rápido e o diálogo é divertido e ágil, principalmente por causa de Red. A série ainda consegue tratar de temas pesados e a trama adora abusar de alguns momentos de choque ou reviravoltas para deixar tudo bem tenso. A série ser imprevisível é uma das coisas que a faz ser mais divertida.

Red

Raymond 'Red' Reddington é um personagem extremamente interessante e inteligente. Sem falar que James Spader é um ótimo intérprete, sempre inspirado como o anti-herói sarcástico e inteligente.

The Blacklist também é capaz de manter as coisas interessantes fazendo Red agir como um vilão, mesmo quando está do lado da lei. Ele é trapaceiro, mentiroso e continua sendo um assassino - mas ele é charmoso, carismático e parece ter boas intensões na maioria das vezes, mesmo quando tira vantagem própria. É por causa dele que o espectador se mantém interessado.

A série está disponível na Netflix. A sétima temporada de The Blacklist chega ao catálogo do streaming no dia 18 de julho. Veja o trailer:

 

Veja também: Transformers: Série animada da Netflix expande mitologia dos robôs


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus