3ª temporada de 3% tem novo local e se mostra mais politizada

Terceira temporada de 3% estreia ainda este ano

14/03/2019 15h51

Por Daniel Reininger

O sucesso brasileiro 3% está prestes a ganhar uma terceira temporada e a Netflix revelou algumas novidades em um evento para imprensa, inclusive contando detalhes sobre a nova comunidade chamada de A Concha, mostrada no final do segundo ano.

A primeira série brasileira da Netflix mostrará uma perspectiva diferente das duas primeiras temporadas e as roteiristas Daina Giannecchini e Dani Libardi estiveram ao lado das atrizes Vaneza Oliveira, Laila Garin, Thais Lago e Bianca Comparato para falar sobre essas mudanças.

"Fica a questão: o que seria o mundo se você tivesse a oportunidade de fazer do seu jeito? Dá para fazer do seu jeito? Na primeira temporada, a gente vê o processo de seleção, na segunda temporada a gente vê mais do Continente, conhece a Causa, vê o Mar Alto. Agora na terceira temporada a gente vai conhecer a Concha e eu acho que a questão fica 'o que seria o mundo se você tivesse a oportunidade de fazer do seu jeito. Será que você vai conseguir?", explica Daina Giannecchini.

Vale lembrar que A Concha foi descoberta por Michele (Bianca Comparato) ao fim da segunda temporada e deve se mostrar uma alternativa à extrema pobreza do Continente e às restrições do Maralto.

Consciência política e social

O painel de 3% se tornou uma conversa mais politizada. O tema central da série, a Meritocracia, foi uma das questões comentadas, ainda mais por se tornar ainda mais complexa nesse novo ano, segundo a diretora Dani Libardi. Diante disso, a atriz Bianca Comparato explicou que a frase "com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades" irá definir a trajetória de sua personagem.

Ela ainda comentou a trajetória da sua personagem: "Ela vai um pouco inocente e jovem pro poder, e se vê em situações complicadas. Ela como líder vê que é inevitável tomar uma decisão que é, na cabeça dela, errada".

Além disso, as atrizes enalteceram suas personagens na trama, reforçando o lugar da mulher na sociedade. Garin sugere que para Marcela "ter poder e ter força, ela acabou por se masculinizar". Oliveira vê Joana numa jornada sobre confiança. "Vamos discutir essa solidão dessa mulher a partir de confiança, a partir do carinho. E isso tudo vem graças ao movimento de mulheres estarem na linha de frente. Afeto, amor diário, a gente precisa disso", comenta.

"A Netflix tem essa postura, essa questão da abertura, da mudança de trazer o novo para dentro, de aceitar que está mudando e crescer com isso. E é realmente um privilégio fazer parte disso", elogiou Comparato. "Nós temos duas diretoras em 3%, e agora temos duas roteiristas mulheres também, e eu acho muito importante ter essa presença feminina".

Vaneza Oliveira ainda fez um paralelo com a realidade do Brasil, após sua personagem lidar com a derrota sofrida por seu grupo na segunda temporada. "É bem a situação política que a gente vê hoje: teve uma derrota. E o que você faz com isso? Há um questionamento interno, o quão certinho você é? Até onde vai o seu senso de justiça?".

A terceira temporada de 3% estreia ainda este ano, mas ainda sem data definida.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus