9 momentos em que a trilha sonora marcou os filmes de Tarantino

Quando a música fez toda diferença na produção do cineasta

20/08/2019 16h57

Por Gui Pereira

Era Uma Vez Em... Hollywood já estreou nos cinemas e mais uma vez fomos presenteados pela mente incrível de Quentin Tarantino. O filme presta uma grande homenagem a indústria do entretenimento durante os anos 60, com inúmeras referências a filmes, programas de TV, celebridades e, como já era de se esperar, músicas da época.

Desde o lançamento de seu primeiro filme, Cães De Aluguel, que o diretor brinca com o modo de utilizar canções contemporâneas em seus filmes. O cineasta foi responsável por criar cenas icônicas como a de tortura do longa embalada pelo som de Stuck in the Middle with You ou então a cena da competição de dança de Pulp Fiction - Tempo De Violência marcada pelo som de Chuck Berry.

Já que Tarantino está lançando seu nono filme, resolvi fazer uma lista com 9 momentos em que ele utilizou da trilha sonora para marcar seus filmes. Resolvi deixar de lado cenas muito icônicas com o objetivo de dar ênfase a momentos poucos lembrados e que mereciam mais atenção na filmografia do diretor.

CONFIRA:

9) Neil Diamond – Hot August Night (Era Uma Vez Em... Hollywood)

Começando a lista com o mais recente trabalho do diretor. Em determinado momento da trama, Brad Pitt está dirigindo pelas ruas de Los Angeles quando começa a tocar a música 'Hot August Night' do diretor Neil Diamond. Nesse momento, ele dá uma carona para uma hippie que faz parte da seita de Charles Manson. Este é o midpoint da trama, quando pela primeira vez vemos uma conexão entre o protagonista e o antagonista. A utilização da canção é muito inteligente, pois a própria música foi gravada como se fosse uma canção gospel porém com uma temática muito semelhante a práticas de uma seita que está chegando na cidade.

8) Bobby Womack – Across 110th Street (Jackie Brown)

Jackie Brown é provavelmente o filme mais subestimado de Quentin Tarantino. A cena de abertura merecia sempre estar citada entre os momentos mais marcantes da carreira do diretor. Logo de cara, somos apresentados a Pam Grier (Jackie Brown) em uma cena que presta homenagem ao filme 'A Primeira Noite de Um Homem'. Do mesmo jeito que aquele filme utilizava a música Sound of Silence de Simon & Garfunkel para ilustrar a personalidade e o dilema do personagem principal, que estava literalmente perdido e sem rumo após o término da faculdade, aqui a canção de Bobby Womack é quem tem o papel de fazer o espectador entender todo o background de Jack Brown. A canção fala sobre uma pessoa pobre que cresceu no gueto e que fez coisas que não se orgulha, porém está ciente do que ela fez e ainda atesta que esse é o único jeito de sobreviver. Uma baita cena de abertura.

7) The White Stripes – Apple Blossom (Os 8 Odiados)

Um dos momentos bastante criticados na filmografia do diretor é a utilização da música Apple Blossom dos White Stripes no filme "Os Oito Odiados". Por se tratar de um faroeste muito mais "pé no chão" do que "Django", por exemplo, muitos críticos disseram que usar uma música moderna não combinava com a atmosfera do filme. Muitos fãs também criticaram a inclusão da música na cena em si. Por outro lado, eu defendo a cena e o uso da música. Acredito que Tarantino presta uma homenagem a Butch Cassidy & the Sundance Kid, que estreou nos cinemas nos anos 60, e trouxe uma cena que chamou muita atenção na época de seu lançamento por apresentar a música 'Drops Keep Falling on My Head'. Ambos os filmes colocam uma canção contemporânea em um ambiente de faroeste para ilustrar dois momentos distintos. É mais um jeito de Tarantino homenagear o cinema.

6) Dave Dee, Dozy, Beaky, Mick & Tuch - Hold Tight! (À Prova De Morte)

A canção "upbeat" de rock foi a escolha perfeita para a primeira cena realmente cruel e devastadora do filme "Prova de Morte". A DJ Jungle Julia e suas amigas estão no carro escutando a música no último volume quando são surpreendidas pelo Stuntman Mike. Uma das melhores cenas de slasher da história do cinema.

5) Brothers Johnson – "Strawberry Letter 23 (Jackie Brown)

Outra cena que merece mais destaque na filmografia do diretor. O uso do trecho da música do Brother Johnson na cena em que Ordel coloca Beaumont no porta malas do carro é um dos momentos mais maneiros da carreira do cineasta. Tarantino utiliza a música organicamente. Quando Ordel liga o carro a música começa a tocar no rádio. Ele aumenta o volume, que também é "aumentado" para o público, e dirige o carro. A música vai sumindo aos poucos no horizonte. Quando o carro passa novamente perto da câmera, escutamos a música novamente. São detalhes que fazem de Tarantino um grande cineasta.

4) David Bowie – Cat People (Putting Out Fire) – (Bastardos Inglórios)

No filme de 2009, Quentin Tarantino utilizou a canção de David Bowie para ilustrar uma das cenas mais belas de "Bastardos Inglórios". Na cena em questão, Shoshanna está se preparando para queimar seu cinema durante a estreia de um filme Nazista. Tarantino mixou a canção em um volume acima dos outros elementos do filme para criar uma sensação como se um boxeador estivesse entrando no ringue.

3) Chingón – Malagueña Salerosa (Kill Bill: Vol. 2)

A saga da noiva em "Kill Bill" acaba com a versão moderna da clássica canção mexicana que já foi gravada por mais de 200 artistas no decorrer dos anos. Quem toca guitarra nessa versão da música é o diretor Robert Rodriguez. A canção, que faz parte do folclore mexicano, é a escolha perfeita para dar fim a lenda de Beatrix.

2) Jim Croce – I Got a Name (Django Livre)

Tarantino utilizou a balada country/folk de Jim Croce para simbolizar o início da jornada de Django junto do Dr. King Schultz. Aqui, Tarantino traça um paralelo com o filme de 1973 dirigido por Sam Peckinpah 'Patt Garrett and Billy the Kid', conhecido no Brasil como "Duelo na Poeira". Aquele filme trazia o cenário faroeste junto com canções de Bob Dylan. Jim Croce, que canta no filme de Tarantino, era um compositor que morreu prematuramente em um desastre aéreo nos anos 70 e, caso não tivesse uma carreira encerrada tão prematuramente, poderia estar, assim como Bob Dylan, dentro dos maiores compositores americanos.

1) The Coasters – Down in Mexico (À Prova De Morte)

A cena do filme "Prova de Morte" em que a personagem Butterfly dança sensualmente para o Stuntman Mike (Kurt Russel) nada mais é do que a melhor cena de dança em um filme do Tarantino. A cena cria um tom que consegue misturar sensualidade e suspense. Uma pena ela ser pouco lembrada na filmografia do diretor.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus