Alec Baldwin fala sobre boicote a Woody Allen: "injusto e entristecedor"

Ator acredita que cineasta é inocente e denúncias são precipitadas

17/01/2018 10h49

Por Iara Vasconcelos

Dylan Farrow, filha de Woody Allen com Mia Farrow, voltou a reafirmar que foi abusada sexualmente pelo pai quando tinha apenas 7 anos. Isso fez com que novos protestos contra o diretor surgissem na mídia, fazendo com que atores que trabalharam com ele doassem os seus cachês em forma de protesto.

Entretanto, para Alec Baldwin, que trabalhou com o cineasta em Para Roma Com Amor e Blue Jasmine, a condenação pública a Allen é algo "injusto e entristecedor".

Baldwin usou o Twitter para defender o amigo e relembrar que ele não foi condenado mesmo após o caso ir parar nas mãos das autoridades: "Ele foi investigado judicialmente por dois estados (Nova York e Connecticut). O repúdio a ele e seu trabalho tem o seu valor, não dúvido. Mas acho precipitado. Trabalhei com Allen três vezes e foi um dos maiores privilégios da minha carreira".

E continuou: "É possível apoiar sobreviventes de pedofilia e assédio ou abuso sexual e também acreditar que Woody Allen é inocente? Eu acredito que sim. Não é intenção ignorar ou desmentir essas pessoas. Mas temos que ter cautela ao denunciar alguém por um crime como esse. Em nome das vítimas também".

Ainda sobre o assunto, Dylan Farrow relatou o abuso sofrido os 7 anos de idade durante o programa CBS This Morning na última segunda-feira. "Eu sou confiável e eu estou dizendo a verdade, e acho que é importante que as pessoas percebam que uma vítima, uma acusadora, importa. E que são suficientes para mudar as coisas", disse Dylan Farrow, que foi adotada por Woody Allen e Mia Farrow em 1992.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus