Batman Vs Superman: Conferimos versão definitiva do longa; saiba o que achamos

Edição estendida melhora a experiência, mas não corrige maiores erros

21/06/2016 14h09

Por Daniel Reininger

Batman Vs Superman tinha a chance de ser épico ao colocar frente a frente os dois maiores heróis da DC, porém, é um filme problemático, confuso e com furos narrativos sérios, incapaz de agradar a maioria das pessoas. Por isso, foi anunciada uma versão definitiva do longa que prometia resolver esses problemas e fomos conferir, em uma sessão especial para a imprensa, para ver se as mudanças realmente melhoram a produção.

Cuidado, o texto a seguir contém spoilers:

Embora, em minha opinião, a A Origem Da Justiça seja um filme que pode ser divertido caso visto sem grandes expectativas, a sua duração de 2h30min e o ritmo truncado deixam o longa muito cansativo. A falta de lógica entre os acontecimentos também ajuda a tirar o interesse de muitos espectadores. Por isso a surpresa ao descobrir que a versão estendida de fato melhora consideravelmente a trama, como prometido por Zack Snyder (300), mesmo com suas 3 horas de duração.

Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

Deixar o filme ainda mais longo não parecia a solução ideal, mas curiosamente funciona e vale conferir a Edição Definitiva, que chega em versão Digital HD no próximo dia 28 de junho e Blu-ray em 19 de julho. Batman Vs Superman ainda é basicamente o mesmo, com erros graves e diversos problemas, como diálogos forçados, mas agora as coisas fazem mais sentido, especialmente, durante os dois atos que constroem os acontecimentos que levam à briga entre os heróis.

A investigação da Lois é aprofundada, Superman ganha mais tempo de tela e sua subtrama é melhor desenvolvida. Agora, Clark investiga Batman e fica mais claro porque ele aceita enfrentar o Homem-Morcego tão facilmente, após ser manipulado por Lex Luthor (apesar de não justificar totalmente), afinal já rolava uma animosidade entre os dois.

Além disso, o Homem de Aço volta a parecer um herói quando o filme explica que a bomba responsável por destruir o capitólio dos EUA estava protegida por chumbo, por isso ele não a viu, não foi distração. Sem falar que agora ele não foge do local da explosão imediatamente sem mais nem menos, nessa versão ele ao menos tenta salvar as pessoas feridas.

Dito isso, os maiores problemas do filme continuam os mesmos: Batman e Superman brigam por um motivo besta (Clark precisa matar Batman para salvar sua mãe e, apesar da melhor contextualização ajudar, ainda não faz muito sentido). Eles param de brigar por um motivo ainda pior (a mãe dos dois se chama Martha). Apocalipse continua caindo de paraquedas no meio da treta, Jesse Eisenberg está péssimo como Lex Luthor e, mesmo conhecendo melhor seu plano agora, o personagem é simplesmente horrível. Leia a crítica da versão dos cinemas.

E claro, o próprio Batman ganha tempo extra, mas como ele já apareceu bastante na versão dos cinemas, suas novas cenas acrescentam pouco. Entretanto, esses detalhes aliados à investigação de Clark deixam mais claro que o herói não está em seu melhor estado mental quando entra no jogo de Lex. Ah sim, agora existe um nu de Affleck no banho só pra fazer graça. 

Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

É preciso dizer que a Mulher-Maravilha ainda é o melhor do filme, apesar de suas cenas extras não acrescentarem nada. Curioso é ver como era fácil levar essa versão ao cinema e não a que realmente foi lançada. Não faltam cenas desnecessárias que poderiam ser facilmente cortadas em prol de manter momentos cruciais, como os presentes nessa versão definitiva. O filme continuaria sendo apenas ok, mas pelo menos teria mais sentido. Parece piada, mas o mesmo acontece com a versão definitiva de Watchmen - O Filme, também de Snyder, que é superior à versão dos cinemas.

Novidades

E não espere algo realmente para maiores, como prometido, afinal pouca coisa muda no quesito violência. E para quem está curioso, as cenas extras fazem revelações interessantes: Jena Malone não é a Batgirl e sim Jenet Klyburn, cientista do S.T.A.R. Labs que ajuda Lois a analisar a bala encontrada no deserto. Luthor revela saber a identidade secreta de Batman e, por isso, o Homem-Morcego decide enviar o vilão para o famoso sanatório Arkham Asylum em Gotham.

Em outra cena, um grupo de militares invade a nave abandonada do General Zod para prender Lex e se depara com uma criatura que gravita três cubos em frente de si antes de desaparecer. Pelos adornos na cabeça, o personagem seria Lobo da Estepe, capanga de Darkseid, grande rival da Liga da Justiça. Provavelmente, Lobo da Estepe será o vilão do primeiro filme do supergrupo.

No final das contas, a versão estendida melhora sim a experiência de Batman Vs Superman, mas encarar 3 horas de filme é bem tenso. Sorte se tratar de uma versão para ver em casa, onde é possível pausar quando necessário. Curiosamente, essa edição deixa ainda mais claro que poderíamos ter tido dois bons filmes no lugar de apenas um tão inchado assim: Batman Vs Superman e a Morte de Superman, com mais tempo para desenvolver ambas as tramas em filmes independentes, possivelmente teríamos dois bons longas e bem menos reclamações dos fãs. Uma pena que não foi o caso.

Veja o comercial dessa edição:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus