Bingo "é drama de ascensão e queda de um rock star", diz Daniel Rezende

Daniel é famoso pela edição de Robocop e Cidade De Deus

23/08/2017 15h20 (Atualizado em 15/09/2017 12h28)

Por Daniel Reininger

Bingo - O Rei Das Manhãs é o primeiro longa de Daniel Rezende, famoso pela montagem de Robocop e Cidade De Deus. O filme inspirado na vida de Arlindo Barreto estreia na próxima quinta (24) e tivemos a oportunidade de conversar mais um pouco com o diretor, confira:

O filme acompanha Augusto (Vladimir Brichta), um artista que vem de uma família de atores, mas que só consegue papéis pequenos ou em Pornochanchadas. Ele finalmente tem sua grande chance ao se tornar Bingo, um palhaço apresentador de um programa infantil de televisão, mas não pode revelar quem é o homem por trás da máscara e acaba se entregando às drogas e ao álcool. "É um drama de ascensão e queda de um rock star. O grande diferencial é que esse rock star é um palhaço", explica o cineasta.

O longa captura bem o espírito do Brasil nos anos 80, algo raro nas telonas. "Acho que o nosso cinema olha pouco para a nossa cultura pop. A gente olha para os nossos problemas sociais, a gente olha para as nossas culturas regionais. Queria muito algo que pudesse conectar com pessoas, ter uma história profunda e que olhasse para nossa própria cultura pop. Fazemos pouco isso", comenta.

Anos 80

Bingo não pretende ser fiel aos fatos e esse foi um dos motivos do longa não usar nomes reais dos personagens, com exceção de Gretchen. "Algumas coisas aconteceram, outras não, e esse é o ponto de partida do filme, mas pensei também: A gente precisa de uma cereja do bolo. Como eles namoraram na vida real, tem que ser a Gretchen", explica o diretor sobre a escolha de usar o nome real da musa dos memes.

Daniel Rezende dirige Bingo

 

O filme faz um belo trabalho de reprodução dos anos 80, mas a chance de errar esse retrato era muito grande. "Esse filme tinha a obrigação de ter uma direção de arte estupenda, com atenção aos detalhes. Figurino, cabelo, tudo era um exagero. A televisão era um exagero", explica o diretor.

Sobre assumir a cadeira do diretor e deixar a montagem com Marcio Hashimoto, Rezende comentou: "Como montador, sempre gostei do que pude proporcionar para os filmes e trazer um olhar fresco, poder contestar o diretor e poder trazer outra visão. Então eu não queria perder isso e foi muito prazeroso poder olhar o material sendo transformado por outra pessoa", conta.

Domingos Montagner

O diretor ainda comentou a morte trágica de Domingos Montagner em 2016, afogado nas águas do rio São Francisco. "Eu ia mostrar Bingo pela primeira vez ao Vladimir no final de semana seguinte à morte do Domingos e acabamos adiando. Fiquei um mês sem conseguir olhar para o filme e, quando assisti, não conseguia olhar as cenas com ele", comenta.

O ator desejava, inclusive, ter vivido o protagonista. "Domingos gostaria muito de ter feito o papel, mas existia uma questão de idade que não batia. Eu queria muito que ele estivesse no longa para ter esse registro do Domingos como o palhaço mentor no filme". E isso realmente aconteceu e serve como bela homenagem ao ator e palhaço. Você descobre como ficou a partir de quinta, 24.

Confira o trailer do filme:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus