Björk acusa Lars Von Trier de assédio durante as gravações de filme

A cantora atuou em Dançando no Escuro, dirigido por ele em 2000

17/10/2017 11h39

Por Thamires Viana

Após as acusações contra Harvey Weinstein em Hollywood, que levou muitas mulheres do entretenimento a compartilhar suas histórias, a cantora Björk revelou que sofreu assédio de Lars Von Trier, diretor de cinema dinamarquês, que dirigiu a moça no longa Dançando No Escuro

Confira o desabafo: 

Mesmo que não especifique a forma exata do assédio, Björk explicou: "Quando eu desviei do diretor repetidamente, ele atacou e me castigou, criando para sua equipe uma impressionante rede de ilusão onde eu estava emoldurada como uma moça difícil. Por minha força, minha ótima equipe e porque não tinha nada a perder, afastei-me e me recuperei dentro de um ano", disse.

De acordo com a cantora, ela o confrontou sobre o seu comportamento, o que ela acredita que pode ter atenuado suas ações depois. Ela acrescenta que embora sua carreira não tenha sido afetada permanentemente pelo assédio, outras atrizes que trabalharam com o diretor podem ter experimentado efeitos mais duradouros.

Von Trier negou as acusações, dizendo ao jornal dinamarquês Jyllands-Posten que esse não é o caso: "Embora não nos entendêssemos, nunca houve assédio. Mas o fato é que ela entregou uma das maiores performances de meus filmes".

 

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus