Cavaleiros do Zodíaco da Netflix falha ao simplificar tramas

Primeira parte da primeira temporada está disponível no serviço de Streaming

22/07/2019 12h34

Por Daniel Reininger

Cavaleiros do Zodíaco da Netflix fica preso entre a nostalgia e novidade, com isso se torna mais uma tentativa falha de conquistar novos públicos para a franquia. Era óbvio que o remake infantilizaria a trama, afinal a série tinha uma violência que hoje seria considerada demasiada, mas a primeira parte da temporada inaugural deixa um sentimento de frustração também nos fãs mais antigos, graças a tentativa de refazer momentos clássicos de forma muito mais simplificada e rasa.

Desde o início, o anime explica absolutamente tudo nos mínimos detalhes, para não dar chance dos novatos deixarem algo passar. Exposição demais nunca é agradável, mas estamos falando de uma série para crianças, então vamos relevar essa ponto por enquanto. Bem, na trama Seiya é o escolhido de uma profecia e precisa proteger a deusa Atena em uma guerra contra Hades e Poseidon capaz de acabar com a humanidade. A novidade é uma organização secreta tecnológica envolvida na disputa.

A escolha de refazer a série em animação 3D garante alguns cenários lindos, porém a movimentação dos personagens é muito mais problemática. Em alguns momentos, parece que estamos diante dos filmes da Barbie do início dos anos 2000 e nem preciso dizer o quanto parece ultrapassado para hoje em dia. Sem falar que a falta de sangue também incomoda visualmente.

Pra mim, a série sempre teve destaque pelo seu ar nostálgico, clássico e jeitão de épico grego. O ar moderno sempre pareceu destoar da trama de Cavaleiros e deuses, mesmo no original, e os remakes (inclusive o filme Os Cavaleiros Do Zodíaco: A Lenda Do Santuário, de 2014) procuram exatamente trazer esses elementos futuristas à tona em detrimento da atmosfera mais clássica. Só isso já acaba um pouco com a magia.

No caso da série da Netflix, além do 3D suspeito, a série modifica demais personagens clássicos, em especial Seiya, muito mais descolado e espertalhão do que na versão original. Cenas desnecessárias como a discussão do protagonista com uma tampa de bueiro eletrônica só atrapalham a ambientação e dificultam a conexão com os heróis.

Além disso, a dublagem ressaltou um lado mais cômico, com memes como "Sabe de nada, inocente". Acho muito justo trazer expressões modernas a clássicos, em Evangelion ficou ótimo, por exemplo, mas esse é mais um elemento que tira o ar pomposo e épico tão importante no anime original. Até as músicas perderam o impacto nessa nova versão.

Eu, como fã, saí decepcionado, mas isso já era esperado e provavelmente nenhum remake vai causar a mesma emoção do original. E isso é normal. Como crítico, vi uma série repleta de problemas, sem apelo e sempre em dúvida sobre qual público quer atingir. Pior, traz uma narrativa repleta de personagens rasos e sem carisma envolvidos em tramas óbvias, mesmo quando tenta inovar. O que mais me incomoda é o fato de pessoas que conheceram a franquia pela primeira vez com esse anime se irritarem com praticamente as mesmas questões que eu, assumido fã nostalgico da franquia.

Quem sabe a segunda parte melhora um pouco as coisas, mas a opção mais adequada para conhecer Cavaleiros do Zodíaco ainda é a série clássica. A primeira parte da primeira temporada do remake está disponível no serviço de Streaming, assista ao trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus