Cineclick acompanha filmagens do longa Que Horas Ela Volta?

Filme dirigido por Anna Muylaert tem a atriz e apresentadora Regina Casé como protagonista

17/02/2014 21h00

Anna Muylaert

Anna Muylaert: "O cuidar do filho é um trabalho sagrado que é muito desvalorizado"

Foto: Aline Arruda/divulgação

Antes da bem-sucedida estreia em 2002 com Durval Discos, que amealhou sete Kikitos em Gramado - incluindo os prêmios de filme, direção e crítica-, a cineasta Anna Muylaert pensava em levar às telas a história intitulada à época A Porta da Cozinha. Quando o roteiro ficou pronto, achou-o muito complexo para seu debut na direção. Vieram então Durval Discos, É Proibido Fumar e Chamada à Cobrar. Somente agora, 12 anos depois, o que seria seu filme de estreia foi finalmente foi rodado, como o título de Que Horas Ela Volta?

O Cineclick esteve na principal locação do filme, uma mansão no bairro do Morumbi, poucos dias antes do término das filmagens, ocorrido neste domingo (16), e conversou com a diretora e sua protagonista, a atriz e apresentadora Regina Casé. Que Horas Ela Volta? entra agora em pós-produção e tem previsão de lançamento para 2015.

No filme Regina interpreta Val, pernambucana que deixou sua terra – e a filha para trás - e foi trabalhar como empregada doméstica na capital paulista. 13 anos depois, a jovem, chamada Jéssica, resolve vir para São Paulo prestar vestibular e a mãe prepara a tão sonhada vinda da filha, apoiada por seus patrões. Mas quando a garota chega a convivência é difícil e a tensão dentro da casa de seus chefes é inevitável.

"Eu tinha tido bebê na época e essa questão da babá sempre foi muito importante pra mim. O cuidar do filho é um trabalho sagrado que é muito desvalorizado. E muitas vezes quem cuida do filho não é a mãe. Daí tem uma babá que cuida desta criança, mas não tem tempo para cuidar do próprio filho. Há um problema social e afetivo nessas relações", diz Muylaerte, revelando sua motivação para escrever a trama.

A cineasta contou que o passar do tempo serviu para que ganhasse a experiência que achava necessária na direção e amadurecesse o roteiro. "Quando fiz a versão final ano passado, entre agosto e setembro, li o original e vi que ele era mais imaturo na estrutura. Ele tinha um fogo, uma matéria-prima bruta de quem não tem experiência mesmo", avalia. Uma escolha, no entanto, não mudou ao longo dos anos: a atriz principal.

"Sempre quis a Regina, nunca quis outra pessoa. Ainda bem que ela achou condições de vir porque acho que só ela tem o repertório de vida para o papel. A Regina está transformando o filme numa espécie de museu sociológico de um tipo de pessoa, um tipo de empregada de certa faixa etária vinda do Nordeste, que quase todo mundo que viu alguma cena acha que é a sua empregada".

Regina Casé

Regina Casé: "A Val é uma espécie de coletânea de pessoas"

Foto: Aline Arruda/divulgação

Para Regina Casé, há muito afastada do cinema, o convite surgiu no momento certo. "Estava morrendo de saudades de atuar [...] Parei porque determinados assuntos se tornaram tão urgentes que achei que devia embarcar neles. Fiz Minha Periferia, Central da Periferia... [programas exibidos pela Rede Globo]. Fui abrindo espaço para toda essas pessoas invisíveis que não apareciam na TV e aquilo foi tomando um corpo e acabei virando apresentadora, coisa que nunca pensei em ser", conta a atriz.

Atualmente apresentando o Esquenta, sucesso de audiência aos domingos, ela não nega que a convivência de décadas com tipos populares a ajudou a construir a personagem central de Que Horas Ela Volta?: "O que fiz foi abrir uma portinha e liberar todas essas mulheres nordestinas trabalhadoras com que convivi em todas as favelas de São Paulo, do Rio de Janeiro, Ceará e Recife. Por isso, acho que não estou fazendo alguém. A Val é uma espécie de coletânea de pessoas. Ela é uma junção disso tudo".

Completam o elenco de Que Horas Ela Volta? os atores Michel Joelsas, Camila Márdila, Karine Teles e Lourenço Mutarelli. A produção é dos irmãos Fabiano e Caio Gullane.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus