Conheça a trajetória de Rob Zombie: da música ao terror!

Zombie é indiscutivelmente um cineasta-autor que merece respeito e atenção

23/10/2019 16h40

Por Gui Pereira

Rob Zombie volta ao cinema com Os 3 Infernais, e, para quem não conhece, ele é uma das vozes mais singulares do cinema autoral dos dias de hoje, mas sua relação com a arte vem de muito tempo. Filho de um casal que trabalhava um "Carnival", aqueles parques circenses nômades, Zombie convive com o meio de entretenimento desde muito pequeno. Essa experiência de vida é nitidamente observada em sua obra, tanto no cinema quanto na música. Isso mesmo, antes de ser um diretor, Rob Zombie também se tornou um dos maiores nomes do Heavy Metal.

Durante os anos 80, ele fundou a banda White Zombie junto de sua então namorada Sean Yseult. Espelhado em Alice Cooper, suas performances eram elaboradas e, de certo modo, cinematográficas. Com o fim da banda, Zombie começou sua carreira solo como músico e seu primeiro disco "Hellbilly Deluxe" foi lançado em 1998 inspirado no amor do músico por filmes de terror.

Após dirigir alguns clipes e trabalhar em uma cena da animação "Beavis and Butt-Head Do America", Zombie foi convidado pela Universal Studios para desenvolver uma atração durante as "noites de terror" do parque. Essa atração criada por Zombie serviu como inspiração para ele escrever e dirigir seu primeiro longa: "A Casa do 1000 Corpos".

Rodado em pouco mais de 20 dias, o filme seria, inicialmente, distribuído pela Universal, porém, após assistir ao conteúdo extremamente gore e pesado, o estúdio arquivou o lançamento do filme. Foram três longos anos até Zombie conseguir readquirir os direitos de seu filme e licencia-lo para a Lionsgate distribuí-lo.

Extremamente criticado pela mídia especializada, o filme, inspirado no terror dos anos 70, foi um sucesso moderado de bilheteria e acabou ganhando o status de cult. Na trama, um grupo de amigos decide visitar o museu de um famoso serial killer que desapareceu décadas atrás, mas acabam parando nas mãos de uma família de psicopatas. A família em sí foi formada por Otis (Bill Moseley), Captain Spaulding (Sid Haig) e Baby (Sheri Moon Zombie, esposa do cineasta).

Os personagens psicopatas ficaram tão famosos que foram de coadjuvantes a estrelas principais de seu próximo longa: Rejeitados pelo Diabo. Na sequência, lançada em 2005, a macabra família começa a ser perseguida por um vingativo Xerife. Para fugir, o trio não mede esforços para matar todos que cruzarem seu caminho. Nessa sequencia, Zombie demostrou mais maturidade por trás das câmeras. Ele deixou o estilo caricato de lado de sua estreia e focou em criar um faroeste moderno e violento, trazendo mais dramas pessoais.

Não demorou muito para Rob Zombie ser convidado para controlar uma franquia de terror. Em 2007, Zombie foi chamado para comandar o remake de "Halloween". Por respeitar o longa original e seu criador, Zombie pediu autorização de John Carpenter para comandar o remake. O cineasta, então, autorizou e pediu para que Zombie criasse sua própria visão do personagem.

Foi exatamente o que Zombie fez e entregou o que, na minha opinião, é o melhor filme de toda a franquia. Zombie declarou que a personagem de Michael Myers, juntamente com Freddy Krueger e Jason Voorhees, haviam ficado muito populares e, em consequência disso, o público não tinha mais medo deles. Zombie então procurou explorar o lado humano de Michael Myers, apresentando a origem da personagem e explorando o seu lado psicopata.

Pouco tempo depois Zombie foi convidado para fazer "Halloween 2", a sequência de seu universo de Halloween. Mesmo um pouco relutante no princípio, Zombie topou fazer a sequencia pois se sentiu mais a vontade de colocar sua assinatura na franquia, sem sentir a pressão de ser comparado com John Carpenter. Apesar do sucesso moderado e de ser um bom filme, planos para um terceiro filme nunca se concretizaram e o diretor seguiu em frente com outros projetos.

Seus próximos projetos como diretor contaram com um dos trailers falsos de Grindhouse (dirigido por Robert Rodriguez e Quentin Tarantino) e a animação The Haunted World of El Suberbeasto, que é baseada na série de HQ criada pelo próprio Zombie.

Em 2013, Rob Zombie voltou a dirigir um longa em live-action. Dessa vez, Zombie disse que pôde ter total controle criativo sobre sua obra e, o que ele entregou foi o melhor filme de sua carreira até agora. Em "Lords of Salem", uma radialista da infame cidade de Salem no estado do Massachussets recebe um disco de vinil de um grupo intitulado The Lords. Após ouvir o disco, a DJ começa a ter visões sobrenaturais envolvendo uma seita de bruxas. Maduro e seguro, Zombie demonstrou ter muita personalidade e criatividade ao comandar um dos filmes de terror mais originais da última década.

Depois de um período de sua carreira focado em dirigir, Zombie voltou a investir na música. Em 2014, ele lançou o concert-film The Zombie Horror Picture Show. Mas, em 2016, voltou as telonas com o filme "31". O longa conta a história de cinco funcionários de um parquinho de diversões que são sequestrados na véspera do Halloween e forçados a sobreviver um jogo assustador chamado 31, no qual eles precisam fugir de maníacos assassinos vestidos de palhaços. Esse é o filme mais pessoal do diretor, tendo em vista que ele cresceu em meio a esse ambiente de parquinho de diversões. Apesar do roteiro simplório, 31 consegue ser original e estiloso, com a assinatura de Zombie claramente vista em tela.

Agora, depois de anos de especulações, Zombie volta para o seu universo lançado em "A Casa dos 1000 Corpos" com o filme "Os 3 Infernais", que volta a apresentar a lunática família de serial killers composta por Otis, Baby e Captain Spaulding. O longa infelizmente é o último da carreira de Sid Haid, o Capitain Spaulding, que veio a falecer dias depois da estreia do filme nos EUA.

Amado ou odiado, Rob Zombie é um dos cineastas atuais mais relevantes do gênero de terror, conseguindo inovar em um gênero que sofre muito com produções clichês. Zombie é indiscutivelmente um cineasta-autor que merece respeito e atenção.

Veja o trailer de seu novo filme:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus