Confira algumas das frases mais marcantes de Carrie Fisher

Atriz teve problemas com drogas e álcool

27/12/2016 18h39

Por Daniel Reininger

Carrie Fisher, a princesa Leia, tinha uma personalidade forte, teve problemas com drogas, álcool e uma relação conturbada com a mãe. Ela nunca deixou de falar de seus problemas pessoais e soltou algumas frases marcantes ao longo dos anos.

Confira algumas das frases da atriz que marcou uma geração e faleceu nesta terça-feira:

"As pessoas querem que eu diga que detesto a princesa Leia, que ela arruinou minha vida. Se minha vida fosse assim tão fácil de ser destruída, então merecia a ruína"

"Um dia percebi que eu estava usando um pouco mais de drogas que as outras pessoas que eu conhecia, e perdendo minha capacidade de fazer escolhas"

"Por favor, parem de debater se eu envelheci bem ou não. Isso me machuca. Meu corpo não envelheceu tão bem quanto eu. Meu corpo é apenas a embalagem do meu cérebro"

Ela deu um importante conselho a Daisy Ridley, protagonista de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força: "Não seja uma escrava como eu fui. Lute contra aquela fantasia"

"Tenho sã consciência do quão maluca sou"

Leia - O Despertar da Força

"Eu gosto de escrever. É como falar mal de mim pelas minhas costas"

Sobre o caso com Harrison Ford, disse: "Era Han e Leia durante a semana e Carrie e Harrison aos fins de semana"

Ainda sobre o caso com Harrison Ford: "Eu nunca tive a coragem de seduzi-lo. Achava que ele era muito pra mim. Ele era muito mais velho e casado"

"Eu não tenho habilidades de esposa. Tentei aprender. Tentei cozinhar, fazer faxina e coisas como essas. Mas entendi que não é de habilidades que uma esposa precisa. É de vontade. Vontade de querer cuidar de alguém"

Sobre a relação com Bryan Lourd: "É mais difícil perder um homem para outro homem. Pois você não pode olhar no espelho e pensar: 'Hum, se eu tivesse seios maiores...'"

"Ter uma mãe famosa é ter que dividi-la com os outros o tempo todo. E eu não gostava disso. Quando saíamos juntas, as pessoas passavam por cima de mim para chegar até ela. Tive que viver sob a sombra de ser filha da Debbie Reynolds"

"Fui diagnosticada com transtorno bipolar aos 24 anos, mas só aceitei o diagnóstico aos 28, quando sofri uma overdose e finalmente fiquei sóbria. Só naquele momento percebi que a doença explicava o meu comportamento"

"Usávamos cocaína no set de Império Contra-Ataca, no planeta de gelo. Eu nem gostava tanto, mas usava o que fosse necessário para ficar chapada"

"Eu assumo toda a responsabilidade dos meus vícios. Culpar Hollywood é fácil. Se assim fosse, todos os atores seriam viciados"

"Não gostava de frequentar o Alcoólicos Anônimos, mas um dia percebi que precisava fazer parte de um grupo com pessoas que me entendessem"

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus