Crítica: A Vida Invisível é um intenso relato sobre a solidão

Longa de Karim Ainouz concorre a uma vaga na categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar

21/11/2019 13h42

Por Thamires Viana

A Vida Invisível, longa de Karim Ainouz, é o longa-metragem brasileiro escolhido para concorrer a uma vaga entre os cinco indicados ao prêmio de Melhor Filme Internacional no Oscar 2020. O filme que chega hoje (21) aos cinemas levou o prêmio de melhor filme na mostra Un Certain Regard, além de ser exibido no Festival de Cannes.

A trama se passa no Rio de Janeiro, em 1950. Eurídice, 18, e Guida, 20, são duas irmãs inseparáveis que moram com os pais em um lar conservador. Ambas têm um sonho: Eurídice o de se tornar uma pianista profissional e Guida de viver uma grande história de amor. Mas elas acabam sendo separadas pelo pai e forçadas a viver distantes uma da outra. Sozinhas, elas irão lutar para tomar as rédeas dos seus destinos, enquanto nunca desistem de se reencontrar.

Confira um trecho da nossa crítica:

"O invisível que o título carrega não é a toa. A forma profunda como Karim aborda a história das irmãs é minimamente pensada para explorar suas invisibilidades e a dissolução de seus sonhos perante à sociedade machista em que vivem, principalmente na década em que o longa é ambientado. Sem saída, Eurídice e Guida se entregam à realidade de suas novas vidas, enquanto se cercam de mentiras e abusos, algo, infelizmente, comum para as mulheres até os dias atuais." 

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA CLICANDO AQUI

A Vida Invisível teve pré-estreia na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e já está em cartaz nos cinemas. O elenco ainda traz nomes como Gregório Duvivier, Maria ManoellaBárbara Santos, Flávia Gusmão, Antônio Fonseca Flavio Bauraqui.

Confira o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus