Crítica: Glenn Close faz cada minuto valer a pena em A Esposa

Longa está em cartaz nos cinemas

03/03/2019 21h26

Por Thamires Viana

A Esposa, longa que levou Glenn Close a mais uma indicação ao Oscar, é um drama inquieto que acompanha Joan (Close), uma escritora que questiona suas escolhas de vida quando seu carismático marido Joe (Jonathan Pryce) se torna vencedor de um prêmio Nobel.

"É importante destacar que a atuação de Glenn Close é o que mantém o longa vivo, e o diretor soube bem utilizá-la com planos fechados que focam no rosto da atriz e em diversos momentos essa câmera mais próxima capta o misto de emoções que o longa busca transmitir e fazer entender pelo olhar da mulher em silêncio os sentimentos de solidão, passividade e amargura. As demais atuações não constroem laços profundos com a trama, tornando-se apáticas. Annie Starke (Joan jovem) e Harry Lloyd (Joe jovem) deveriam parecer cheios de energia e conflitos, mas acabam revelando pouco envolvimento entre sí, o que dificulta em justificar o amor de Joan atualmente por Joe. Temos como excessão o trabalho do experiente - e vencedor do Globo de Ouro - Cristian Slater como Nathaniel Bane, o insistente biografo de Joe que tenta a todo custo conseguir revelações sobre sua produção artística."

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA CLICANDO AQUI

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus