Crítica: O Homem Invisível foca no terror do abuso doméstico

Longa está em cartaz nos cinemas brasileiros

27/02/2020 14h11 (Atualizado em 13/03/2020 18h06)

Por Daniel Reininger

O Homem Invisível é o novo filme do monstro clássico da Universal. O longa muda um pouco as coisas em relação à história original e deixa tudo com tom de novidade, além de trazer a incrível Elisabeth Moss no papel da atormentada Cecilia, protagonista do longa. Já assistimos, então confira o que achamos:

"Na mais nova versão da Universal sobre o icônico O Homem Invisível, o foco é o terror do abuso doméstico, com tom de suspense. O longa explora os temas do romance clássico com toque contemporâneo afiado, capaz de modernizar a história de H.G. Wells sobre a arrogância e obsessão do ser humano.

Ambientada na cidade de São Francisco, o longa acompanha Cecilia (Elisabeth Moss) em sua fuga do violento e cruel namorado Adrian (Oliver Jackson-Cohen), um bilionário da tecnologia controlador e sociopata. A saída de Cecilia de casa é tensa e estressante e, sem dizer muito, deixa claro que essa personagem vive uma vida absolutamente opressiva."

CONFIRA A CRÍTICA COMPLETA


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus