Crítica: Sense8 se despede dos fãs de forma coerente e emocionante

Episódio final chega à Netflix nesta sexta-feira, dia 08 de junho

06/06/2018 12h33

Por Thamires Viana

Quando lançou Sense8 em 2015, talvez nem a Netflix imaginasse todo o sucesso que a série faria entre os jovens e adultos ao redor do mundo. E claro que ela também não imaginava a movimentação que o cancelamento da atração em 2017 poderia causar.

Criada pelas irmãs Wachowskis - as mesmas responsáveis pela trilogia Matrix - e por J. Michael Straczynski, a série traz oito pessoas desconhecidas, de diferentes partes do mundo, que de alguma forma conseguem se comunicar telepaticamente. Em paralelo às suas vidas pessoais, está a OPB (Organização de Proteção Biológica), um grupo de pesquisas que persegue o cluster a fim de fazer experimentos e explorar suas habilidades.

Os sensates são Nomi (Jamie Clayton), Capheus (Toby Onwumere), Sun (Bae Doona), Kala (Tina Desai), Riley (Tuppence Middleton)Wolfgang (Max Riemelt), Lito (Miguel Ángel Silvestre) e Will (Brian J. Smith), oito personagens que conquistaram o público com cenas de amizade, amor, sexo, luta e união, mostrando que a série tinha um mega potencial para explorar suas vidas. E conseguiu.

Assinado por Straczynski e Lana Wachowski, o episódio final, marcado pra chegar à plataforma na próxima sexta-feira, dia 08 de junho, entrega tudo aquilo que os fãs querem ver, responde à todas as perguntas e, querendo ou não, ameniza um pouco a insegurança que ficou após o anúncio do cancelamento. Dessa forma, o desfecho da trama cumpre o seu dever de amarrar as pontas e esclarecer os fatos, deixando assim que nos lembremos da atração sem ressentimentos de um fim mal elaborado.

Montado como um filme de aproximadamente 2h20, o final se consolida perfeitamente e em cada cena, seja ela de ação ou diversão, demonstra o carinho dos criadores, diretores e equipe em entregar um presente para aqueles que acompanharam todo o desenrolar da trama.

Apesar de longo, o episódio não se torna massante e não atropela as histórias individuais a fim de só esclarecer o que acontece. Pelo contrário, o capítulo abrange tanto as questões pessoais do grupo, de cada um dos sensates e todos os problemas dos quais eles ainda precisam se livrar. Tudo de maneira simples, deixando um pouco de lado a complexidade que acompanhou as duas temporadas. É onde os planos da OPB são de fatos revelados, onde a missão de Jonas (Naveen Andrews) e Angelica (Daryl Hannah) se torna mais clara, assim como os mistérios por trás de Sussurros (Terrence Mann), o grande vilão da trama. 

E é claro que Straczynski e Lana não deixariam de lado a vida amorosa dos sensates. O triângulo amoroso de Kala, Wolfgang e Rajan ganha seu desfecho de forma inimaginável. Já Sun e o detetive Mun (Sukku Son), que conhecemos na segunda temporada, também encerram a trajetória felizes da vida, assim como Lito, Dani (Daniela Velazquez) e Hernando (Alfonso Herrera). E, claro, Nomi e Amanita (Freema Agyeman) ganham uma das cenas mais intensas e emocionantes do episódio.

É difícil não sentir um aperto no peito ao se dar conta do fim de Sense8, no entanto, tanta energia e disposição do elenco e equipe para entregar o melhor ao público, ameniza a tristeza e faz com que seja mais fácil aceitar a despedida do grupo. Prepare-se para reviver e suspirar com uma das cenas mais icônicas da primeira temporada, para rir com as sequências cômicas inseridas, para chorar - e muito - juntos com os pergonagens... E, assim como eu, guarde o lencinho para a cena pós-crédito!  

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus