De Pernas Pro Ar aposta em comédia com muito romance e pouco sexo

Protagonizado por Ingrid Guimarães, o filme que falava sobre uma vendedora delivery de sex shop mudou o foco por rejeição apontada em pesquisa.

13/12/2010 19h32

Falar de sexo ainda é um tabu e, quando se quer falar diretamente com o grande público, os cuidados tornam-se ainda maiores. Por uma rejeição do público ao conteúdo de uma produção que se chamaria Sex Delícia, o filme protagonizado por Ingrid Guimarães agora é De Pernas Pro Ar. O sexo – e a graça de falar no assunto – ficou em segundo plano e o longa virou uma comédia romântica que discute a mulher moderna, com suas ocupações e preocupações que influenciam direta e negativamente no sexo.

“Sempre tivemos a preocupação de tratar com leveza. A história vai além da sex shop. É sobre relações. Uma adolescente pode ir assistir com a mãe e levantar uma conversa [sobre o assunto]”, diz a produtora Mariza Leão. Ou seja, uma comédia família, como Mariza prefere classificar.

De Pernas Pro Ar conta a história de Alice, workaholic bem-sucedida na vida profissional que não dá atenção para a família, além de ter uma relação bem distante com sua mãe (interpretada por Denise Weinberg). Depois de perder o emprego e o marido, a malvista vizinha Marcela (Maria Paula) lhe apresenta alguns "brinquedinhos" que vende no sex shop Sex Delícia. Descobrindo o prazer, Alice decide fazer disso sua fonte de renda e expandir os negócios de Marcela, de quem se torna melhor amiga.

Ingrid Guimarães conta que é uma Alice, mas que isso não chega a ser ruim: “Sou uma workaholic, por isso pedi para fazer esse filme. Às vezes alguém tem que me dizer pra parar.” E há solução para esse problema tão contemporâneo? “Se você souber [como conciliar], me conta”, brinca Ingrid. “A gente tem sempre que abrir mão de algumas coisas e temos que escolher o quê será”, completa.

O filme estreia em 31 de dezembro com cerca de 300 cópias. No entanto, a partir de 25 de dezembro começam as sessões pagas de pré-estreia. Mariza enfatiza que a data (véspera de Ano Novo) é meramente ilustrativa, já que é comum os filmes entrarem em circuito às sextas-feiras. Ela não acredita que a escolha da data afete a ida do público ao cinema, e exemplifica com Se Eu Fosse Você 2 e Meu Nome Não É Johnny (este segundo filme, com produção de Mariza), que estrearam em 2 e 4 de janeiro (em anos diferentes) e foram vistos por mais de 6 e 2 milhões de pessoas, respectivamente.

Sobre  previsão de público e faturamento, Mariza prefere não arriscar: “Não sou ligada em fetiches por números. Claro que, no meu laptop, eu estou sempre fazendo continhas, mas não digo o número exato nem morta”, brinca.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus