Eliza Dushku revela que foi abusada aos 12 anos por dublê de Hollywood

Atriz fez depoimento detalhado sobre o caso

15/01/2018 17h17

Por Iara Vasconcelos

A atriz Eliza Dushku (Buffy the Vampire Slayer) revelou que foi abusada pelo dublê Joel Kramer durante as gravações de "True Lies" (1994), longa estrelado Arnold Schwarzenegger e Jamie Lee Curtis. Na época, ela tinha apenas 12 anos.

Pelo Facebook, Dushku, que atualmente tem 37 anos, fez um desabafo detalhado sobre o dia do abuso e afirmou não ter revelado o que aconteceu antes por ser muito jovem na época e não entender as dimensões das hierarquias na indústria do cinema:

"Eu me lembro, tão claramente 25 anos atrás, como Joel Kramer fez eu me sentir especial, como ele metodicamente conseguiu a minha confiança e a dos meus pais. Ele me atraiu para um quarto de hotel em Miami após prometer aos meus pais que iria me levar para nadar na piscina do hotel da equipe de dublês e para experimentar sushi pela primeira vez. Eu me lembro claramente como ele metodicamente criou as sombras e apagou as luzes, como ele aumentou o ar-condicionado para níveis congelantes exatamente no lugar em que ele me colocou em uma das camas do hotel. Lembro do filme que ele colocou na TV (Coneheads) e como desapareceu no banheiro surgindo depois com apenas uma toalha pequena cobrindo suas partes. Eu recordo o que vestia no dia - meu par favorito de shorts jeans brancos - e como ele deitou-se em cima de mim, me enrolando em seu corpo gigante e se esfregando contra o meu corpo. Ele falou: 'Você não vai dormir agora, queridinha. Pare de fingir que está dormindo', enquanto se esfregava mais rápido e fortemente contra o meu corpo catatônico. Quando ele 'terminou' sugeriu que nós  devêssemos 'tomar mais cuidado' sobre a possibilidade de alguém descobrir o que aconteceu. Eu tinha 12 anos, ele tinha 36".

"Muitos devem se perguntar 'por que ela está revelando isso somente agora?'. Bem, eu era uma criança e ele um homem maduro. Como ninguém no set de filmagens não notou nada estranho em seu comportamento predatório? - como uma atenção exagerada voltada a mim. Ele chegou a me apelidar de 'chave de cadeia' e me chava dessa forma na frente dos outros de um jeito malicioso (na época, cheguei a perguntar ao meu irmão o que esse termo significava)".

"Anos depois, eu ouvi dizer que o Joel Kramer tinha sido descoberto e forçado a abandonar a carreira. Mas descobri recentemente que ele ainda trabalha no topo da indústria. Há algumas semanas, eu encontrei na internet uma foto dele abraçando uma garotinha. Essa imagem me deixou aterrorizada. Eu não posso mais esconder o que aconteceu. Eu estou grata pelas mulheres e homens antes de mim que abriram o caminho para que denúncias como essas tivessem o reconhecimento devido".

A agência Worldwide Production Agency revelou nesta segunda-feira (15) que não representará mais Joel Kramer e que apoia o depoimento de Dushku.

Em entrevista ao HuffPost, o dublê nega que tenha abusado da atriz quando ela era menor de idade e afirma que tudo não passa de uma invenção da mesma: "Estas denúncias são uma invenção bem elaborada pela Sra. Dushku. Não entendo o que a levou a fazer esta declaração e espero que possa encontrar sua consciência para corrigir esta injustiça e devolver a minha reputação".

Jamie Lee Curtis, que era uma das protagonistas do filme, afirmou que teve conhecimento do caso através da própria Eliza - mas sem revelar quando isso ocorreu - e reafirmou que abusos como esses são comuns em Hollywood: "Todos começamos a acordar diante do fato de que estes terríveis abusos, que agora têm se tornado rotineiros nas notícias diárias, aconteceram durante muito tempo".

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus