Em ascensão, Katherine Heigl afirma que precisa provar potencial a cada filme

11/10/2010 06h55




















Até 2005, Katherine Heigl penava para conseguir algum papel de destaque na televisão ou no cinema. Cinco anos depois, Katherine tornou-se um dos principais nomes da comédia romântica norte-americana e chega aos cinemas brasileiros nesta sexta-feira (15/10) com Juntos Pelo Acaso.

Para atriz de 32 anos, sua carreira tomou um rumo inesperado nos últimos cinco anos e a combinação de seu trabalho na série Grey's Anatomy com a bilheteria de Ligeiramente Grávidos a colocou no cenário hollywoodiano. “A série certamente me ajudou a conseguir o papel no filme de Judd Apatow. Simplesmente porque convenceu ao estúdio que eu era 'vendável' para o público”, afirmou a atriz em entrevista a um pequeno grupo jornalistas internacionais da qual o Cineclick fez parte, em Nova York.

Os bons resultados de bilheteria da comédia romântica com Seth Rogen (US$ 148 milhões, quase cinco vezes mais que o custo do filme) e a audiência da série desencadearam uma avalanche positiva na carreira de Heigl. Vieram Vestida Para Casar (US$ 76 milhões), A Verdade Nua e Crua (US$ 88 milhões) Par Perfeito (retumbante fracasso) e Juntos Pelo Acaso. “Mas essa coisa de bilheteria é sempre uma situação difícil: a cada filme eles chegam e dizem que 'este é o filme que Katherine tem de provar se é capaz de levar o público à bilheteria'. No caso de Juntos Pelo Acaso, vou ficar de coração partido se não for bem”, diz a atriz.

Assista ao trailer de Juntos Pelo Acaso


Ter Katherine Heigl no filme foi um dos fatores que atraiu o ator Josh Lucas. “Ela decolou a carreira, equilibrando força dramática e cômica”, opina o norte-americano. Porém, ter uma estrela no elenco não assustou o diretor Greg Berlanti. “Estava preocupado apenas em deixar o set de filmagens calmo e tudo certinho para Katherine e Josh [Duhamel, coprotagonista]”. Berlanti, na estrada há onze anos desde a série Dawson's Creek, diz que a premissa inusitada do roteiro foi o maior atrativo. “Lia o roteiro normalmente até chegar a página 20, quando os pais morrem, e uau!, questionava o que aconteceria dali para frente, para onde irá a criança, como os dois vão lidar com a situação. Isso me pegou de uma maneira que outras comédias românticas não conseguiram”.

Em Juntos Pelo Acaso, Holly (Katherine) e Messer (Duhamel) são os melhores amigos de Alison (Christina Hendricks) e Peter (Hayes MacArthur). Inesperadamente, os amigos morrem e deixam a menina Sophie na guarda de Holly e Messer, que tem de superar suas diferenças para criar a criança. “Nunca passei por isso. Para compor meu personagem, imaginei como seria se isso acontecesse com algum amigo meu”, diz Duhamel, conhecido por sua participação na franquia Transformers e também por ser marido de Fergie.

Como o filme acompanha um longo período na vida da dupla, foi necessário filmar com três crianças diferentes: Alexis, Bryn e Brooke Clagett. “Eu adorei! Tem uma certa inocência e pureza nas crianças. Elas não vão mentir ou fingir pra te agradar, apesar de algumas vezes ser difícil lidar com eles, são pequenos seres de 15 meses de vida!”, ironiza Duhamel. Se o ator achou divertido, para a direção o processo é menos glamuroso.

“Foi um desafio logístico! Tinha de olhar o humor da criança a todo momento, pensar se havia uma cena grande a ser filmada, se é melhor rodar uma cena mais triste porque o bebê está de mau humor. Tem de ser muito flexível e deixar a câmera rodando”, diz Berlanti, que antes de dirigir Juntos Pelo Acaso escreveu o roteiro de Green Lantern ao lado de Michael Green, Marc Guggenheim, Michael Goldenberg.



Em onze anos, Greg Berlanti solidificou uma carreira como roteirista e produtor de séries de TV, intercalando alguns trabalhos em cinema. Inclusive foi o primeiro a escrever um casamento abertamente gay na televisão, na série Brothers & Sisters. “Acho fundamental tocar no assunto, por isso escrevi. Sinto que o cenário vai mudar, as novas gerações são mais abertas, pessoas com menos de 30 não enxergam gays como diferentes”, opina Berlanti, homossexual assumido.

Além de Juntos Pelo Acaso, que estreia nos cinemas brasileiros nesta sexta-feira (15/10) distribuído pela Warner Bros., Berlanti vive a expectativa de mais uma série da televisão americana, No Ordinary Family. “Já foram escritos e rodados oito episódios. Fico com um frio na barriga, mas já tive muitos sucessos e fracassos. É normal”, resume.

*O repórter viajou a convite da distribuidora

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus