Em Nome da Lei: Paolla Oliveira e Mateus Solano falam em coletiva

Longa tem direção de Sérgio Rezende

13/04/2016 17h17

Por Julia Viana

Em um momento político conturbado, no qual o poder judiciário está sob holofotes no Brasil, a Fox lança o filme Em Nome Da Lei. Estivemos no evento para imprensa em São Paulo ao lado dos atores Sérgio Guindane, Paolla Oliveira, Mateus Solano e Chico Díaz, além do diretor Sérgio Rezende e da produtora Mariza Leão, e contamos para você um pouco mais sobre o longa.

Baseado em fatos, a trama acompanha o juiz Vitor, interpretado por Mateus Solano, disposto a desmontar um esquema de contrabando e tráfico de drogas em uma cidade da fronteira entre Brasil e Paraguai. A máfia é controlada por Gomez, papel de Chico Diaz.

O juiz conta com a colaboração da procuradora de Justiça Alice (Paolla Oliveira) e da equipe do policial federal Elton (Eduardo Galvão). São eles os primeiros a questionar as atitudes do novo juiz. "Até onde vão as atitudes do Vitor, querendo justiça? Onde ele está certo, onde está errado?", indagou Paolla na enttrevista coletiva.

Cheio de determinação e com uma vaidade escancarada, ele arrisca a vida para fazer justiça contra a organização existente há décadas na região, cujos criminosos só prosperaram graças à conivência do poder público. Mateus, ao longo da trama, pensava sobre essas questões. "O que movia esse cara além do senso de justiça? Qual é a vaidade, a coisa do ego dele, que levava ele a esse lugar?", se perguntava o ator. "[Ele era] tão ávido por justiça nesse lugar! Queria mudar tudo da noite pro dia", completou.

Ainda sobre escapar do senso comum maniqueísta, Chico Diaz, claramente o vilão da trama, defendeu o lado humano de seu personagem. "Esse outro lado da fronteira, esse lado que se diz 'ilegal', eu tenho tentado entender e tenho conseguido", disse o ator antes de revelar: "Visto por outro prisma, meu personagem era só um negociante que queria o melhor para sua família".

Em Nome Da Lei começou a ser produzido em 2012 e o protagonista é inspirado no juiz federal Odilon de Oliveira, famoso por atuar no combate ao crime organizado na região da fronteira do Brasil com o Paraguai em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. Porém, o timing do filme acabou sendo mais abrangente e atual, visto que Sérgio Moro, também juiz federal, ganhou atenção no julgamento da Operação Lava Jato.

chico diaz e mateus solano

Fugindo do mocinho x bandido

Sérgio Rezende ainda procurou levantar uma discussão sobre valores de ética e moral, além de pincelar o papel da imprensa na divulgação dos esquemas de corrupção. Porém, a intenção nunca foi separar bem e mal. "Você tem que deixar seus personagens viverem, dar grandeza aos seres humanos, às histórias", disse na coletiva. O protagonista Mateus Solano concordou com o diretor. "O filme suscita a discussão, não escolhe lado", concluiu.

Bastidores

Um fato logo chama atenção na obra: A interpetação primorosa de Chico Diaz. O ator contou com a ajuda de uma fonoaudióloga para criar seu personagem da maneira como pretendia. "A voz é mais importante do que a imagem", afirmou o ator. Além disso, ele revelou ter usado caneleiras de 3 kg em cada perna para dar aquele toque de esforço no caminhar. Para fechar, todo elenco concordou que a preparação para cenas de ação exigiram muito ensaio, mas valeram a pena no final. 

Em Nome da Lei estreia nos cinemas brasileiros no dia 21 de abril. Assista ao trailer:


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus