Festival É Tudo Verdade completa 18 anos e divulga selecionados de 2013

Festival ocorre simultaneamente em São Paulo e Rio entre 4 e 14 de abril

19/03/2013 19h12

Foto: Divulgação

A Máquina que Faz Tudo Sumir: um dos destaques da programação

No ano em que completa 18 anos, o festival de documentários É Tudo Verdade reúne em sua programação um apanhado diverso do que vem se produzindo no Brasil e no mundo no cinema documental. Este ano o evento ocorre simultaneamente em São Paulo e no Rio de Janeiro, entre os dias 4 e 14 de abril. Em seguida segue para Brasília (de 16 e 21 de abril) e Campinas (entre 23 e 28 de abril).

“Nesta edição reunimos uma safra muito madura de filmes. Isso nos deu muito trabalho para chegar à seleção que, por isso mesmo, é muito forte”, disse o diretor e criador do festival, Amir Labaki, em evento de divulgação em São Paulo na manhã desta terça-feira (19). Labaki não escondeu a satisfação de ver o É Tudo Verdade chegar à sua 18ª edição: “O Brasil não é um país que rotineiramente não tem eventos tradicionais. Cada vez que a gente consegue levar a pedra lá no topo novamente é motivo de orgulho”.

Acompanhando de perto a produção nacional nestas quases duas década, Labaki diz ter percebido muito mais do que o aumento na qualidade e número de produções. “Vi com prazer, ao longo desses anos, documentarista brasileiros conseguirem fazer a manutenção da carreira, o que é importante para a criação de uma linguagem própria”, avaliou.  

Mostras competitivas

Na seleção internacional, 41 filmes serão exibidos entre as mostras competitivas e as informativas. Ao todo, 12 obras disputarão a competição de longas-metragens. Entre eles, estreias como Antes e Depois do Jantar, em que o ator e diretor teatral André Gregory é retratado pela mulher, a cineasta Cindy Kleine, e destaques de festivais internacionais como Primo de Segundo Grau, de Alan Berliner, e A Máquina que Faz Tudo Sumir, de Titatin Gurchiani, prêmio de direção em Sundance.

Entre os brasileiros, sete filmes serão apresentados em première mundial. Entre eles A Alma da Gente, de Helena Solberg e David Meyer; O Universo Graciliano, de Sylvio Back; e Serra Pelada – A Lenda da Montanha de Ouro, de Victor Lopes.

Golpe de 1964

O É Tudo Verdade se adiantará ao aniversário dos 50 anos do golpe militar de 1964 com a exibição do documentário Jango, de Silvio Tendler, de 1984. Paralela à exibição do longa estão programadas duas mesas-redondas para discutir a importância histórica de João Goulart e do filme de Tendler. Serão apresentados também série de curtas feitos pelo IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais) nos anos 1960 que serviram de base para converncer a população da necessidade de uma intervenção militar no país. 

Homenagem

Este ano o festival presta homenagem a Dziga Vertov, cineasta russo e um dos pais do formato documental. A retrospectiva internacional traz oito cópias em 35mm de filmes do diretor. Serão exibidos, entre outros, clássicos como O Homem da Câmera de Filmar, Três Canções Sobre Lenin e Cine-Olho. A exibição dos filmes só foi possível graças a uma parceria com o Austrian Film Museum, detentor das cópias. A curadora da coleção, Adelheid Heftbeger, virá ao Brasil para conversar com os espectadores sobre a obra de Vertov.

Filmes em competição no É Tudo Verdade:

INTERNACIONAIS

- Antes e Depois do Jantar, de Cindy Kleine (EUA)
- Estou no Espaço, de Dana Ranga (Alemanha)
- Filha Problema, de Stéphanie Argerich (França/Suíça)
- A Máquina que Faz Tudo Sumir, de Tinatin Gurchiani (Geórgia/Alemanha)
- Minha Revolução Roubada, de Nahid Persson Sarvestani (Suécia/Noruega/Inglaterra/EUA)
- Nascido na USSR - Geração de 28, de Sergei Miroshnichenko (Rússia/Inglaterra/Alemanha)
- Não Me Esqueça, de David Sieveking (Alemanha)
- Nosso Nixon, de Penny Lane (EUA)
- Parque do Povo, de Libbie D. Cohn e J.P. Sniadecki (EUA/China)
- Salma, de Kim Longinotto (Inglaterra)
- Uma Vez Entrei num Jardim, de Avi Mograbi (França/Israel/Suíça)
- Universo Particular , de Helena Trestikova (República Tcheca)

NACIONAIS

- A Alma da Gente, de Helena Solberg e David Meyer (RJ)
- Antártica, de Evaldo Mocarzel (SP)
- Em Busca de Iara, de Flavio Frederico (SP)
- Mataram Meu Irmão, de Cristiano Burlan (SP)
- Ozualdo Candeias e o Cinema, de Eugênio Puppo (SP)
- Serra Pelada - A Lenda da Montanha de Ouro, de Victor Lopes (RJ)
- O Universo Graciliano, de Sylvio Back (RJ)

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus