George Miller processa a Warner por lucros de Mad Max

Disputa coloca sequências de Mad Max em risco

13/11/2017 15h41

Por Iara Vasconcelos

Mad Max: Estrada Da Fúria foi um dos filmes mais bem-sucedidos de 2015 e arrecadou U$$ 378 milhões nas bilheterias ao redor do mundo. Entretanto, o diretor de George Miller acredita que a distribuição desses lucros foi feita de forma equivocada pela Warner Bros.

Segundo o jornal australiano Sydney Morning Herald, a produtora de MillerKennedy-Miller Mitchell, e o estúdio haviam assinado um acordo determinando que a empresa receberia um bônus de US$ 7 milhões se o orçamento do filme não passasse dos US$ 157 milhões. 

Ao todo, a produção acabou gastando US$ 200 milhões, incluindo os valores da campanha de divulgação e distribuição. Entretanto, Miller argumenta que a Warner tomou decisões que acarretaram no atraso do filme e gerou custos adicionais, que não deveriam ser incluídos na soma final. Por não conseguir chegar a um consenso com a empresa, o cineasta decidiu levar o caso para a justiça.

"Nos devem ganhos substanciais pelo grande trabalho que fizemos e que levou cerca de 10 anos para ser concluído, incluindo o desenvolvimento do roteiro e os três anos de gravação e produção do longa. Nós gostamos de fazer filmes com a Warner Bros., mas depois de um ano não conseguimos chegar a uma solução boa para ambas as partes", afirmou Miller. Em resposta, a Warner diz que discorda da posição do diretor e "lutará contra as afirmações" feitas por ele.

Por conta disso, é provável que as sequências de Mad Max, bem como o possível derivado de Imperatriz Furiosa, acabe não saindo do papel.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus