Idris Elba fala de A Torre Negra em entrevista Exclusiva

Filme já está em cartaz

28/08/2017 17h59 (Atualizado em 28/08/2017 18h00)

Por Daniel Reininger

O londrino Idris Elba ficou famoso por interpretar o traficante de drogas carismático Stringer Bell, na aclamada série da HBO The Wire. Ganhador do Globo de Ouro por sua interpretação de um perturbado policial na série Luther, o ator agora vive Roland Deschain na adaptação da aclamada série de livros de Stephen King, A Torre Negra. Confira nossa entrevista exclusiva com o ator:

Pistoleiro

O ator admitiu ter ficado espantado com a oferta para viver Roland Deschain, o Pistoleiro. "Para ser sincero, eu nem conhecia os livros. Eu fiz alguns filmes com a Sony Screen Gems, mas muitos atores talentosos poderiam ter ganhado esse papel. Obviamente, foi um prazer ter conseguido", explica.

Baseado nos romances de Stephen King, esse é um conto épico do bem contra o mal. Roland Deschain é o último Pistoleiro, que fora aprisionado numa batalha eterna contra Walter O'Dim, também conhecido como Homem de Preto (Matthew McConaughey), numa tentativa de evitar que ele destruisse a Torre Negra, que sustenta o universo.

"Dizer que Roland vive assombrado é um tanto clichê, mas é verdade. Ele tem um passado do qual não consegue se livrar, não consegue esquecer, até conhecer o personagem de Tom Taylor, Jake, e encontrar uma forma de confrontar seu passado – e ele realmente o confronta. Tudo fora tirado dele e ele está em busca de vingança e isso se torna parte dele e de sua consciência", explica Idris.

Nova experiência

Para o ator, esse foi um trabalho único. "Eu senti que o papel tinha muita profundidade e, como ator, acho que você recebe alguns papéis tão desafiadores que você precisa se reinventar. Resolvi trabalhar Roland de dentro para fora. Eu tentei comparar quem eu era com quem ele era e comecei a construí-lo".

Idris sentiu o desafio de fazer um épico que acontece em mundos diferentes. "Nós trabalhamos muito duro, especialmente na África do Sul, nossa Terra Média. Foram muitas horas, algo bem físico. Interpretar um super-herói não é parecido com nada que eu já tenha feito antes. O personagem tem muita profundidade, mas ele também tem muitas cenas de ação, que foram divertidas de fazer. Eu aprendi novas habilidades, como segurar uma arma. E o desafio era fazer algo muito legal e bem feito".

Nem mesmo os filmes da Marvel, no qual interpreta Heimdall, causaram o mesmo impacto no ator. "Eu já participei de grandes produções, mas nunca como personagem principal e em nada comparado a isso. Esse é uma grande blockbuster e a energia de estar na frente do trem é diferente. É intenso e muito interessante", conta.

Bastidores

Idris conta que o diretor Nikolaj Arcel amava os livros de King desde criança. "Então, ele é fã dos livros e os interpretou de uma forma que faz todo o sentido num filme, o que é bem desafiador, pois os livros não soam tão lineares como a nossa história e ele encontrou uma linha que honra a trama e faz todo o sentido. Foi uma produção enorme para ele, mas ele lidou com isso de uma maneira ótima. Ele é um grande diretor", comenta Idris.

O próprio Stephen King se envolveu com o filme. "Foi muito bom quando Stephen visitou o set. Ele é um cara tranquilo e muito legal. Eu acho que ele ficou orgulhoso e feliz de ver o filme sendo feito. Você sabe, do nada havia A Torre Negra e os personagens, bem ali, na frente dele! Ele elogiou nosso trabalho e nos desejou sorte", conta o ator.

Idris conta ainda que participou do processo de construção do figurino do Pistoleiro. "Esse foi, definitivamente, um processo colaborativo; O Pistoleiro é muito bem descrito nos livros e existem muitas imagens dele, mas nós destilamos o que estava descrito para fazer algo nosso, que acredito ter ficado legal e inovador", conta.

"Assim que eu vesti o casaco, pude entender como esse homem se movia e o figurino ajudou muito. Você coloca a arma e está pronto para ir. É interessante, porque você encontra o personagem, pelo menos em parte, com o figurino", explica.

O filme apresenta sequências que exigiram muito fisicamente do ator e ele comenta a experiência. "Eu gosto da ação e eu, realmente, me envolvo. Gosto muito das sequências de briga. Eu adoro a coreografia, ser capaz de trabalhar esses movimentos muito complicados e, depois, aprendê-los e repetí-los de novo e de novo. Eu amo isso! Foi um filme difícil de fazer, mas depois de tudo dito e feito, estou muito feliz de ter participado", conta.

O filme já está em cartaz. Confira o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus