Oscar 2016: Indicada Charlotte Rampling diz que boicote é "racismo contra brancos"

Atriz diz que não vê necessidade de "criar minorias"

22/01/2016 14h27

Por Iara Vasconcelos

Depois que Spike Lee, Will Smith e sua esposa Jada Pinkett, Lupita Nyong'o, Tyrese Gibson e muitos outros atores se posicionaram contra a falta de diversidade entre os indicados do Oscar 2016, a atriz britânica Charlotte Rampling, indicada ao oscar de "Melhor Atriz" por sua atuação no drama 45 Anos, deu uma declaração bastante infeliz sobre o assunto.

+ Opinião: Falta diversidade novamente ao Oscar

Durante entrevista ao canal francês Europe 1, a veterana disse ser contra o boicote promovido por alguns atores e chamou a situação de "racismo contra brancos".

 "É complicado saber se esse é o caso, mas talvez os atores negros não merecessem estar na reta final", disse a atriz, conhecida pela atuação no cinema internacional, em produções francesas e italianas.

Em outra declaração, ela praticamente negou que existe qualquer discriminação racial na indústria - e na sociedade em geral - e não vê necessidade de medidas de inclusão na premiação.

"Qual a razão de classificar as pessoas? Hoje em dia todo mundo é mais ou menos aceito... as pessoas vão sempre dizer 'ele é menos bonito'; 'ele é muito negro'; 'ele é muito branco' ... alguém sempre vai dizer que você é 'muito' [isso ou aquilo] ... Mas nós precisamos mesmo criar milhares de pequenas minorias em todo canto por isso?

Quando os entrevistadores pediram para que Rampling explicasse melhor sua declaração, ela desconversou e disse "não tenho mais comentários", dando o assunto por encerrado.

+ Veja nosso especial do Oscar

Parece que a atriz não tomou conhecimento das atuações de Idris Elba,  Samuel L. Jackson e até do novato Michael B. Jordan, grandes apostas que foram ignoradas pela Academia.

O Oscar 2016 acontece no dia 28 de fevereiro. Até lá, a discussão deve se intensificar mais ainda. Will Smith já anunciou que não estará presente na cerimônia, a mesma atitude deve ser tomada por Spike Lee, o primeiro a cogitar o boicote.

No ano passado, internautas de todo o mundo utilizaram a tag  para protestar contra a ausência de negros, latinos e mulheres nas principais categorias da festa. Com o cenário se repetindo em 2016, a tag#OscarsStillSoWhite deve promover mais discussões sobre o assunto.

+ "Academia não deveria ditar os termos da arte na sociedade moderna", diz Lupita Nyong'o

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus