Irmandade: Elenco revela detalhes em coletiva de imprensa

Nova série original brasileira chega à Netflix no dia 25 de outubro

09/10/2019 16h46

Por Thamires Viana

Para promover Irmandade, sua nova série original brasileira, a Netflix realizou na manhã desta quarta-feira (09) uma coletiva de imprensa com a presença do elenco. Naruna Costa, Seu Jorge, Lee Taylor, Pedro Wagner, Danilo Grangheia, Wesley Guimarães e o diretor Pedro Morelli contaram aos jornalistas presentes mais detalhes sobre a produção que chega à plataforma no próximo dia 25 de outubro.

Ambientado na cidade de São Paulo dos anos 90, o thriller conta a história de Cristina (Naruna Costa), uma advogada honesta e dedicada que descobre que seu irmão Edson (Seu Jorge) está preso e lidera uma facção criminosa em ascensão - conhecida como "Irmandade". Ela é forçada pela polícia a virar informante e a trabalhar contra o irmão, que não vê há anos.

Com clima descontraído, Morelli contou que a ideia do projeto chegou em suas mãos quando a Netflix procurou a produtora O2 para falar sobre os temas que gostariam de abordar: "Estou há dois anos envolvido no projeto. Ele nasceu quando a Netflix revelou os temas e um deles era esse universo das facções criminosas. Eu já tinha um interesse pelo assunto e cá estamos nós, dois anos depois, lançando a série".

Sobre a produção e a escolha da narrativa da série, o diretor e showrunner revelou que evitou algumas ideias para trazer uma nova perspectiva ao tema das facções na dramaturgia brasileira. "Nós tínhamos algumas abordagens possíveis para falar desse tema. A mais esperada e a menos bacana para mim seria trazer o ponto de vista da polícia investigando a facção. É comum, vemos isso em filmes hollywoodianos, por exemplo. Aí me surgiu a ideia de fazer sobre uma mulher, trazê-la como protagonista e abordar esse universo a partir da visão dela", contou.

Para se distanciar de produções que tratam do tema, ele se aprofundou em fazer uma vasta pesquisa para entender como surgem as facções, e revelou que não se inspirou em nada existente para contar a história de Irmandade. "Ela não é inspirada em nada do que existiu, nem a história e nem a facção. Estudei sobre o conceito de porque elas existem e quis mostrar isso. Elas nascem devido à pressão violenta que existe no sistema carcerário, da falta de dignidade daqueles presos... E nos anos 90 isso era ainda pior!"

Sobre Edson, rapaz preso ainda jovem por um crime simples, Seu Jorge revelou que seu personagem é um cara que tem muita disposição e que está implacável na busca por justiça. "Ele não é de "amarelar" e nem de deixar conversa pela metade. Ele investiga se vê que tem algo errado, é um cara que, na minha opinião, dentro da facção leva o proceder como uma coisa muito forte. É onde começa a dar errado a cumplicidade entre ele o parceiro Carniça (Pedro Wagner), porque ninguém abaixa a guarda e tem um poder em jogo", diz. 

Para compor Cristina, Naruna disse que se desviou de esteriótipos da mulher negra no Brasil e contou muito com a ajuda do elenco. "Eu trouxe algumas vivências minhas para o set. Não queria esteriotipar a personagem e nem mesmo abordar só a violência contra a mulher. Ela é uma personagem rara e eu me sinto privilegiada de vivê-la. Sinto como se estivesse abrindo portas. Me senti motivada também por saber que, embora o mercado audiovisual ainda conte com poucos negros, nossa presença lá fez toda a diferença. Junto com elenco e equipe, essa discussão se fez presente. Isso foi fundamental", revelou ela. 

A primeira temporada de Irmandade conta com oito episódios de 45 minutos cada e chega à Netflix no dia 25 de outubro.

Confira o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus