Lars Von Trier, diretor de Ninfomaníaca, revela vício em álcool e drogas

Tornou-se um dos principais nomes do cinema europeu após ganhar a Palma de Ouro em Cannes em 2000

29/11/2014 15h24

Por Daniel Reininger

O cineasta Lars von Trier (Ninfomaníaca) revelou que está se tratando do vício de drogas e álcool e afirma ao jornal Politiken não saber se conseguirá produzir filmes.

Em sua primeira grande entrevista após o silêncio auto imposto seguido dos comentários controversos sobre Adolf Hitler, o dinamarquês contou pela primeira vez que frequenta reuniões dos alcoólatras anônimos diariamente e que atualmente está sóbrio.

Ele também revelou que luta contra a depressão e explicou que quase todos seus filmes foram escritos sob influência de alguma droga.

Von Trier tomava uma garrafa de vodka por dia para entrar em um "mundo paralelo" de criação. Ele ainda acredita que estando sóbrio, provavelmente ele só será capaz de produzir "filmes de merda". "Eu não sei se eu consigo fazer mais filmes, e isso me preocupa", disse. "Não há nenhuma expressão criativa de valor artístico produzida por ex-bêbados e ex-viciados. Quem iria se preocupar com um Rolling Stone sem álcool ou um Jimi Hendrix sem heroína?", disse.

Autor de obras polêmicas, Von Trier apresenta estilo de cinema próprio, o Dogma 95, em prol de um cinema mais realista e menos comercial. Tornou-se um dos principais nomes do cinema europeu após ganhar a Palma de Ouro em Cannes em 2000, com Dançando No Escuro, protagonizado pela cantora Bjork.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus