Louis Garrel fala sobre carreira, rótulo de Sex Symbol e atentados em Paris

Ator desembarcou em São Paulo para divulgar seu primeiro trabalho como diretor

27/11/2015 17h59

Por Iara Vasconcelos

O ator francês Louis Garrel desembarcou em São Paulo nessa sexta-feira (27), para promover o longa-metragem Dois Amigos, seu primeiro como diretor. Famoso por filmes como Os Sonhadores, de Bernardo Bertolucci, e Canções De Amor, de Christophe Honoré, ele conversou com a imprensa e falou do futuro de sua carreira, a fama de galã e os atentados que abalaram Paris no último dia 13 de novembro.

Garrel passou a maior parte da entrevista com um cigarro eletrônico e logo brincou que parou de fumar assim que chegou no Brasil. "Com o que está acontecendo em Paris nos últimos dias, os franceses estão fumando muito para aliviar a tensão. Assim que cheguei a São Paulo e vi como as pessoas estavam relaxadas, resolvi parar de fumar. Mas como não estou conseguindo, vou ficar com essa piteira o tempo todo", disse o astro.

Os ataques que deixaram cerca de 130 mortos na Cidade Luz foi um dos assuntos mais abordados durante a entrevista. Garrel ofereceu seu ponto de vista sobre o assunto e explicou como isso tem influenciado o mercado de cinema no país.

"Minha geração nasceu em uma época em que o serviço militar já não era mais obrigatório. A maioria de nós nunca viu a guerra de perto, então por isso esse choque de realidade tão grande. Tenho amigos iranianos que não ficaram tão impressionados com o ocorrido. Para completar o povo francês é muito melancólico. Depois de tudo o que aconteceu, os cinemas estão às moscas. Tenho um amigo que lançou um filme dias antes dos atentados. É desastroso", revelou.

Louis veio ao país acompanhado da namorada, a também francesa Laetitia Casta, e brincou que os dois estavam testando um relacionamento mais moderno: "Praticamos essa coisa do amor livre, liberal". O francês é considerado um dos maiores Sex Symbols do cinema e acha graça no rótulo: "Todos os dias, quando acordo pela manhã, me olho no espelho e digo para mim mesmo 'como é bom ser um símbolo sexual'", brincou.

Carreira de Diretor

Garrel se mostrou empolgado com os rumos da carreira e disse que a transição – de ator para diretor – foi fácil, já que ele tinha comandado quatro curtas-metragens anteriormente.

"Dirigir é definitivamente mais cansativo. Uma das cenas do filme, por exemplo, começamos a filmar às 14 horas e só terminamos às 2 da manhã do outro dia. Nessa ocasião pensei 'realmente, fazer os dois é uma má ideia'. Mas alguns dias são mais simples", explicou.

No longa, Paris tem uma importância bastante simbólica, entretanto, o ator diz que é difícil filmar na cidade. "Paris transporta um cinema imaginário. Diferente dos Estados Unidos, onde as ruas são retas, é muito complicado filmar por lá. O meu desafio nesse filme era fazer com que os parisienses não reconhecessem os lugares das filmagens".

Trama Feminina 

Dois Amigos


Dois Amigos é baseado na peça teatral "Les Caprices de Marianne", de Alfred de Musset, e acompanha a história de Mona (a atriz iraniana Golshifteh Farahani e ex-namorada de Garrel), que está em liberdade condicional e trabalha em um quiosque de uma estação de trem de Paris durante o dia, mas volta para o presídio a noite. Ela é a paixão de Clément (Vincent Macaigne), um figurante com tendências suicidas que sempre recorre ao amigo Abel (Garrel) para solucionar seus problemas amorosos.

Garrel afirma que o longa não tem raízes políticas e que é feminino. "Muitos me perguntam que tipo de filme é este, se um suspense ou um algo mais político, e falo que não, que é um filme feminino. É o retrato de dois homens de mais de 30 anos, mas que são extremamente imaturos". E completa "A amizade de Abel e Clément é como a de R2-D2 e C3PO [droides da franquia Star Wars]".

Hollywood

O ator francês disse não descartar a participação em alguma produção Hollywoodiana, mas afirma que os diretores americanos parecem não gostar muito de sua fisionomia. Quando perguntado sobre o cinema brasileiro, ele afirma que poderia fazer um papel mudo ou um francês típico em alguma produção nacional, apesar de conhecer muito pouco sobre o assunto.

"Os únicos filmes brasileiros que conheço são Tropa de Elite e Cidade de Deus. Um amigo meu me falou esses dias de um ator muito bom, que tem cerca de 40 anos e é famoso no país". Nesse momento, alguém da plateia grita o nome de Wagner Moura. "É esse mesmo", disse empolgado o francês.

Dois Amigos chega aos cinemas brasileiros em 3 de dezembro.

Assista ao trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus