Marcello Airoldi fala sobre viver diretor escolar despreparado

O ator está no elenco da série de comédia Sala dos Professores

16/09/2019 19h40

Por Thamires Viana

A série Sala dos Professores, dirigida por Daniele Ricieri e Thomas Miguez, promete revelar os diferentes desafios enfrentados pelos mestres no dia a dia escolar de uma maneira divertida.

Prevista para chegar em 2020 no canal Cine Brasil TV, a produção da Realejo Filmes inova ao trazer a referência de linguagem mockumentary, popular em séries norte-americanas como The Office (NBC) e Modern Family (ABC). A proposta de um falso documentário é aproximar o telespectador da história por meio da interação dos personagens com a câmera.

Além de conversarmos com Kiko Pissolato - entrevista que você pode conferir aqui - também batemos um papo com Marcello Airoldi, ator que viverá o temido diretor Alfredo Whitaker.

Confira o bate-papo exclusivo:

CINECLICK: Marcello, você pode nos falar um pouco mais sobre o Alfredo?

MARCELLO: Ele é o novo diretor da escola Nova Vanguarda que entrou substituindo uma diretora que foi demitida. Ele se considera um gestor, mas não sabe absolutamente nada de educação, nunca trabalhou com isso! Mas nessa nova onda dos bons gestores, ele tem essa confiança de alguém que pode realmente transformar essa escola em uma empresa lucrativa. Só que ele não é só despreparado no oficio. Ele é um ser humano despreparado, extremamente vaidoso e acredita que suas ideias são as melhores, apesar de serem completamente idiotas! [Risos]  

CINECLICK: Como foi receber o convite para viver esse personagem?

MARCELLO: Foi uma delícia! Acho que as temáticas da série são ótimas para esse momento em que estamos vivendo no nosso país, porque é quase uma 'deseducação'. E eu sinto que é por conta de não termos uma estrutura importante da educação que leve as pessoas até o ponto de pensar e refletrir. É por isso que estamos vivendo essa situação. E falo não só desta, mas de todas as gestões de governo que já tivemos. Para muitos não importa o pensar, e sim o gerar resultados.

CINECLICK: Você chegou a fazer algum laboratório?

MARCELLO: Específico não, porque não tivemos tanto tempo [risos]. Foi através das leituras que trabalhamos as improvisações de cena, já que pela linguagem especiifica da câmera, os personagens acabam tendo um comportamento difetente. É uma interação com a câmera que geralmente não temos, então nós aprendemos a dialogar diretamente com ela e com o público. Além disso, para o Alfredo é uma honra, né? Com a vaidade absurda ele gosta dessa coisa de ser observado o tempo todo!

CINECLICK: E para você, qual é o diferencial da série para atrair o público?

MARCELLO: Acho que é o humor, a qualidade da comédia... São temas fundamentais para serem abordados hoje em dia. É uma série com pensamenrto crítico e elaborado, mas que usa a comeádia para falar de coisas pesadas. Sabemos que a vida de um professor no Brasil não é facil, que eles possuem dificuldades e trabalham muito para ter uma qualidade melhor de vida. Sem falar no desrespeito com a profissão e tudo mais. Então, acho que é um tema que atinge a todos nós e por isso é um apelo para refletirmos sobre ele. 

A primeira temporada de Sala dos Professores acompanha a rotina de Teresa (Claudia Missura), Daniel (João Côrtes), Álvaro (Kiko Pissolato), Lázaro (Markinhos Moura), Reca (Fafá Rennó), Olivério (Gedio Amadeu) e Mariana (Carolina Borelli), educadores que, além de lidarem com o conteúdo apresentado em sala de aula e seus problemas pessoais, estão apreensivos com a chegada de Alfredo Whitaker (Marcello Airoldi), diretor que assume a responsabilidade de liderar um corpo docente pela primeira vez.

A série foi criada por Leonardo Cortez e Thomas Miguez, respectivamente roteirista e diretor da obra, e tem estreia prevista para o início de 2020.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus