Mix Brasil abre com vencedor em Sundance e traz filme censurado na Austrália

11/11/2010 08h22























Guerreiro, o Festival Mix Brasil de Cinema da Diversidade Sexual chega à 18ª edição e começa nesta quinta-feira (11/10) com a exibição, para convidados, de Contracorriente, de Javier Fuentes-León. O longa-metragem peruano venceu o Prêmio de Público da última edição do Festival de Sundance é o escolhido pelo Peru para tentar uma indicação ao Oscar de Filme Estrangeiro.

É um início de festival mais discreto do que o da edição de 2009, quando Do Começo ao Fim criou polêmica ao mostrar uma relação incestuosa entre Pedro e Thomás. Neste ano, também não teremos a força de uma comédia Elvis e Madona. O filé mignon do Mix Brasil 2010 fica por conta da seleção de curtas premiados, como Bailão e Eu Não Quero Voltar Sozinho, e das produções internacionais.

Entre elas, L.A.Zombie, de Bruce LaBruce, o diretor de filmes de zumbi gay que já participara do Mix em 2008 com Otto; ou Viva Gente Morta. Só para dar uma ideia dos filmes de LaBruce, L.A. Zombie foi banido do Festival de Melbourne em julho porque o diretor do Comitê de Classificação Indicativa da Austrália mandou uma carta para o diretor do festival negando classificá-lo.

Mais comportada é a produção norueguesa O Homem Que Amou Yngve, de Stian Kristiansen, filme indie, já exibido na Mostra, sobre a descoberta da sexualidade logo após a queda do Muro de Berlim. Outro forte destaque da programação internacional é um cineasta cultuado pelos cinéfilos paulistanos: Christophe Honoré, diretor de A Bela Junie, Canções de Amor e Não, Minha Filha, Você Não Irá Dançar, traz ao Mix Brasil seu novo filme, Homem no Banho.

Na lista de boas opções internacionais também estão BearCity, paródia de Sex and the City, mas, ao invés de quatro garotas consumistas, temos quatro “ursos” que passam por situações cômicas. Para as meninas, o Mix tem Um Quarto em Roma, filme de Julio Medem.

Programação paralela

Assim como nos anos anteriores, a programação de curtas-metragens é separada por tema: Trash-O-Rama, Mix do Brasil (produções nacionais), Sexy Boyz, Mapa das Minas, Modern Family e Cara Metade.

Outro evento tradicional do Mix Brasil que novamente dá as caras é o Show do Gongo. Frequentadores mandam curtas para o festival, que serão exibidos em clima de diversão na terça-feira (16/11), sob o comando de Marisa Orth.

Outro evento que promete é Como Filmar Uma Cena de Sexo: Tata Amaral (Antônia), Carlos Alberto Ricelli (O Signo da Cidade), Jürgen Bruning (Saudade), Claus Mathes e Florence Frazilci falam sobre a experiência de rodar uma cena amorosa.

A edição 2010 do Festival Mix Brasil de Cinema da Diversidade Sexual acontece até a próxima quinta-feira (18/11), com programação distribuída em oito espaços de exibição. Os vencedores do Coelho de Ouro e de Prata serão conhecidos neste dia, quando o Mix será encerrado com a projeção de Sasha, de Dennis Todorovic.
Deixe seu comentário
comments powered by Disqus