MIXBRASIL 2008: Amanda e Monick mostra quebra de preconceito

20/11/2008 14h48

Por Heitor Augusto

Barra de São Miguel, região do cariri paraibano. Lá, em uma cidade cuja população é quase duas mil vezes menor que a do município de São Paulo, dois travestis vivem realidades diferentes. Amanda é professora de história. Com olhar confiante, conquistou o respeito dos alunos. A base dessa auto-afirmação está no pai, que sempre deu apoio irrestrito. Monick aparenta ter uma realidade familiar diferente. Assumida desde os 17 anos, trabalha como prostituta em Santa Cruz do Capibaribe (Pernambuco). É na sala de aula que a trajetória de professor e aluno se cruzam.

A história é o centro do documentário em curta-metragem "Amanda e Monick", em exibição no Festival MixBrasil. O filme venceu o prêmio de melhor curta digital do Cine PE em maio. O diretor André da Costa Pinto mostra que, por detalhes de criação e convivência social, histórias parecidas podem tomar rumos diferentes. Nascido Artur Marculino Gomes, Amanda tem o suporte do pai. Seu depoimento no filme emociona. Com uma maturidade espantosa, Silvio Gomes trata a condição sexual do filho sem segredos e anormalidade, sem chegar nem perto do "politicamente correto". Apenas entende como normal a condição de Amanda.

Monick Mashahara, nome de guerra de Hernando Porfírio da Silva, tem outro caminho. Sua família sequer chega a ser citada no filme. "A relação delas com a família é que marca a diferença da trajetória". Sua sexualidade é outro ponto complexo. Não se encaixa simplesmente no rótulo de homossexual, por se travestir de mulher. Afirma-se gay, mas engravidou uma mulher - os dois vivem juntos. "Quando a criança nascer, eu vou ser a mãe e a Nilda [sua companheira] será o pai", confessa Monick.

"Amanda e Monick" coloca o espectador urbano no assento da dúvida e desconforto. Como em uma cidade de seis mil habitantes um travesti é aceito pela família, alunos, pais? "Isso é uma questão importante, que fica de reflexão", avalia o diretor. Em uma sociedade acostumada com os gêneros heterossexual, homossexual e bissexual, a condição de Monick põe mais caldo na história. Como antecipara Ronaldo Pamplona da Costa em "Os Onze Sexos - As Múltiplas Facetas da Sexualidade Humana".

Amanda e Monick integra a Mostra Competitiva Brasil I do MixBrasil. Confira os horários de exibição

Dia 20/11 (quinta-feira), às 20h15, no Auditório do MIS
Dia 22/11 (sábado), às 15h30, Centro Cultural da Juventude

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus