Morre Ettore Scola, um dos maiores nomes do cinema italiano

Diretor conquistou prêmios em Cannes e em Berlim

19/01/2016 21h59

Ettore Scola, um dos maiores nomes do cinema italiano, morreu nesta terça-feira (19), aos 84 anos. O cineasta estava em coma no departamento cardiológico do Hospital Policlino de Roma. Segundo os familiares, seu coração parou por "cansaço".

Nascido em Trevico, uma cidade de mil habitantes na província de Avellino, em 10 de maio de 1931, Scola estudou direito e passou pelo jornalismo antes de entrar para o cinema. Sua estreia na direção foi em 1964, com a comédia Fala-se de Mulheres.

Em 1974, ganhou o César de melhor filme estrangeiro com Nós Que Nos Amávamos Tanto. Dois anos depois, conquistou o prêmio de melhor diretor em Cannes, com o filme Feios, Sujos E Malvados.

Já na década de 1980, ganhou o Urso de Prata no festival de Berlim com O Baile (1984). Outro trabalho inesquecível do cineasta é Um Dia Muito Especial, de 1977, longa que rendeu a indicação ao Oscar de melhor ator para Marcello Mastroiani.

Seu último trabalho foi Que Estranho Chamar-se Federico!, de 2013. O filme faz uma homenagem ao grande amigo de Scola, Federico Fellini.

O cineasta deixa a mulher, Gigliola Scola e as filhas Paola e Silvia Scola. Todas elas também seguiram carreira no cinema italiano e fizeram parcerias com Ettore.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus