Mostra SP: Ana Paula Arósio fala de sua volta às telonas no suspense A Floresta Que Se Move

Elenco do filme se reuniu em coletiva em São Paulo

27/10/2015 14h33

Por Daniel Reininger

Na manhã desta terça-feira (27), Ana Paula Arósio, Gabriel Braga Nunes, Nelson Xavier e o diretor Vinícius Coimbra se reuniram com a imprensa para a coletiva do filme A Floresta Que Se Move, interessante longa exibido na Mostra de São Paulo 2015. Um dos temas abordados foi justamente o retorno da atriz, que está longe da TV desde 2010.

"Meu personagem é conhecido e bastante difícil, porque já foi tão bem interpretado por tantas boas atrizes. Mas é um tesão fazer, saber que alguém estava me oferecendo algo tão bom", comentou Arósio sobre poder participar novamente deum filme. Sobre o clima do longa ela disse: "Começamos a filmar pelas cenas noturnas, então acho que isso ajudou nesse lado mais sombrio".

Além disso, a atriz falou sobre trabalhar com Gabriel Braga Nunes, com quem viveu par romântico também em Anita Garibaldi, de 2013. "A gente tinha feito um casal mas não teve beijo. Ali gente quase não se tocava. Aliás, teve um 'tabefe'. Ali era outro tipo de amor. Nesse filme tem um beijinho e esse casal se ama, tanto que entram numa roubada juntos. Eu acho o casal bem romântico", falou ela.

A Floresta Que Se Move

Nelson Xavier, outro membro importante do elenco, contou que seu personagem tem uma diferença em relação aos outros em que viveu anteriormente. "Essa é a primeira vez que me chamam para fazer uma pessoa rica (risos)", brincou. Em A Floresta Que Se Move, ele vive o presidente de um banco privado. "Acho que o elenco está bastante afinado e em relação ao meu personagem eu foquei na questão do poder, isso me inspirou", contou Xavier.

"O personagem dele é um rei e o Nelson carrega essa majestade dentro dele. Ele tem o porte da nobreza", disse o diretor Vinícius Coimbra, que comentou ter uma batata quente na mão, mas que fez de tudo para trazer essa obra para o público brasileiro. "A ideia nunca foi criar um alvo realista e, sim, algo que remetesse o espectador ao texto original", disse.

O cineasta também falou sobre as locações utilizadas durante as gravações. "O filme não está colocado no tempo e espaço. Filmamos em diversos locais para baratear a produção e proporcionar uma sensação de que a história poderia de passar em qualquer lugar do mundo", disse Coimbra.

Inspirado no clássico Macbeth, A Floresta Que se Move acompanha Elias (Gabriel Braga Nunes), executivo do segundo maior banco do Brasil. Seu destino começa a mudar quando encontra uma misteriosa bordadeira que se diz vidente. Ela afirma que ele se tornará vice-presidente do banco e no dia seguinte seria o novo presidente. Quando Elias conta a história para Clara (Ana Paula Aósio), sua esposa, ela convida o atual presidente do banco para jantar, para que o marido possa subir de posição na empresa. No entanto, o plano arquitetado por Clara culmina em uma série de assassinatos e numa busca desenfreada por poder.

O longa é interessante, belo visualmente e com locações criativas, entretanto o tom fantasioso e com elementos de contos medievais (próximo à obra original) em meio a uma trama moderna gera certo estranhamento, especialmente devido ao diálogo pomposo, elementos que podem atrapalhar o espectador na hora de aproveitar a obra. Mesmo assim, a produção brasileira é boa opção, ainda mais pela volta de Ana Paula Arósio.

Exibido na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o longa estreia comercialmente em 5 de novembro. Confira abaixo o trailer e imagens do evento:

A Floresta que se Nove Coletiva
A Floresta que se Move - Coletiva

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus