Mulher-Maravilha 2: Produção adotará políticas antiassédio

Novas diretrizes foram criadas pelo Sindicato dos produtores de Hollywood

22/01/2018 14h46

Por Iara Vasconcelos

A sequência de Mulher-maravilha será a primeira produção a adotar as novas políticas antiassédio desenvolvidas pelo Sindicato dos Produtores (PGA).

De acordo com a jornalista Rebecca Keegan, da "Vanity Fair", o PGA definiu que todas os estúdios apliquem treinamentos especiais as equipes de seus filmes e criou novas diretrizes para aumentar o apoio as vítimas de assédio e agilizar os processos de denúncia. 

O projeto, que tem como objetivo criar um ambiente mais seguro e acolhedor em Hollywood, foi desenvolvido pelo sindicato em parceria com a iniciativa Time's Up, que tem como objetivo acabar com o assédio no ambiente de trabalho.

Vale lembrar que o produtor Brett Retner, que trabalhou no primeiro filme da heroína, foi desligado da continuação após ser acusado de assediar diversas atrizes, dentre elas Ellen Page e Olivia Munn.

Mulher-Maravilha 2 terá a volta de Patty Jenkins na direção e está previsto para novembro de 2019.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus