Mulher-Maravilha: Filme é banido do Líbano por Gal Gadot ter nascido em Israel

País não tem boas relações com Israel, terra natal da atriz

31/05/2017 13h20 (Atualizado em 31/05/2017 16h43)

Por Iara Vasconcelos

Mulher-maravilha pode acabar sendo proibido no Líbano por conta das tensões entre o país e Israel, onde nasceu a estrela Gal Gadot. Inclusive, a atriz já chegou até a servir o exército do país.

A Associated Press informa que não há um pedido formal de banimento do filme mas que o Ministério da Economia libanês deve receber a solicitação nos próximos dias. A partir daí, um comitê deve ser criado pelos membros do ministério e só então a decisão será tomada.

Caso isso se concretize, o longa da DC Comics entrará para o hall de produções que foram proibidas no país ao lado de Spotlight - Segredos Revelados, Noé, O Código Da Vinci e O Lobo De Wall Street. Os motivos por trás dos banimentos são variados, dentre eles ataques à "moral e os bons costumes", criticas a religiões como o cristianismo e, claro, relações com Israel.

[Atualizado] Apenas duas horas antes da estreia do longa no país, a Variety confirmou que Mulher-maravilha não será exibido no Líbado. [Atualizado]

Estrelado por Gal Gadot e com Chris Pine no elenco, o longa solo da super-heroína estreia 1º de junho no Brasil. Embora a Warner não tenha confirmado uma sequência, sabemos que a personagem estará de volta ao cinema em Liga Da Justiça.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus