Netflix e Ava DuVernay são processadas por Olhos que Condenam

A empresa John E. Reid and Associates acusa a atração de difamar técnica de interrogatório

14/10/2019 19h39

Por Thamires Viana

A empresa por trás de uma controversa técnica de interrogatório policial entrou com uma ação federal nesta segunda-feira (19) contra a Netflix e a diretora Ava Duvernay. No documento a empresa alega que foi difamada na minissérie Olhos que Condenam, lançada este ano na plataforma e dirigida por DuVernay.

A atração conta a história real de cinco jovens do Harlem que vivem um pesadelo depois de serem injustamente acusados de um ataque brutal no Central Park. 

A acusação aponta a técnica usada para o interrogratório do grupo de garotos acusados mencionada no quarto episódio. Na cena, um dos personagens confronta o detetive da polícia de Nova York com alegações de que ele coagiu uma confissão dos cinco réus na vida real que, felizmente, foram inocentados anos depois.

"Você extraiu declarações delas depois de 42 horas de interrogatório e coação, sem comida, intervalos para o banheiro, sem a supervisão dos pais", afirma o personagem. "A Técnica Reid foi universalmente rejeitada." O detetive responde: "Eu nem sei o que é essa técnica Reid, ok? Eu sei o que me ensinaram. Eu sei o que me pediram para fazer e o fiz."

O processo alega que esse diálogo descaracteriza a técnica Reid, que segundo ele não envolve coerção, e também alega que é falso afirmar que a técnica foi "universalmente rejeitada".

A empresa John E. Reid and Associates desenvolveu a técnica Reid no final da década de 1940 e continuou a oferecer materiais de treinamento e cursos para a aplicação da lei desde então. Segundo a empresa, é o método de interrogatório mais utilizado pelas agências policiais em todo o mundo. Mas os críticos alegaram que sua abordagem pode resultar em falsas confissões.

O processo alega que a série prejudicou a reputação da empresa e busca danos reais e punitivos. O documento também busca uma liminar impedindo a Netflix de distribuir a série em sua forma atual e um descritivo dos lucros da Netflix com o programa.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus