"O Brasil sempre leva filmes pesados. O nosso traz frescor", diz diretor de Pequeno Segredo

Elenco e diretor se reuniram em coletiva de imprensa nesta terça-feira

08/11/2016 13h06

Por Iara Vasconcelos

O elenco de Pequeno Segredo, representante do Brasil na briga por uma indicação ao Oscar 2017, se juntou ao diretor David Schurmann e a Heloisa e Vilfredo Schurmann, personagens reais do drama e pais da garotinha Kat, figura principal do filme, em uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (8).

Recém-chegados de uma viagem pela África. O casal assistiu ao filme, inspirado no livro escrito por Heloisa, pela primeira vez na última segunda-feira. Como era de se esperar, os dois se emocionaram muito ao ver a pequena Mariana Goulart na pele da filha adotiva do casal, portadora do vírus HIV desde o nascimento. Kat faleceu aos 13 anos.

Para o elenco, a tarefa também não foi fácil. Júlia Lemmertz, que viveu Heloisa na trama, também não se conteve: "Foi intenso e lindo ver que o trabalho fez todo o sentido quando eu vi Heloisa e Vilfredo assistindo ao filme e se emocionando. Foi quando eu me dei conta da dimensão disso para eles".

Marcello Antony afirma que viver o capitão da família Schurmann nos cinemas "não foi nenhum trabalho, só prazer". O ator afirma que só conheceu Vilfredo pessoalmente na última segunda-feira.

A pequena Heloisa, que fez sua estreia nas telonas já com um papel de destaque e extremamente difícil, conta com a voz embargada que deu o melhor de si para a personagem: "Ela é insubstituível e passou por coisas que eu jamais conseguiria. Fiz o trabalho com muito amor".

Filme de mulheres

Pequeno Segredo


O que mais chama atenção em Pequeno Segredo é o poder das personagens femininas e a relevância que elas têm na narrativa. Isso faz com que a figura de Vilfredo (Antony), por exemplo, fique totalmente como coadjuvante.

David Schurmann conta que essa abordagem foi intencional, tanto como forma de retratar com mais clareza as três histórias que se entrelaçam no filme, quanto para mostrar a força que as mulheres têm na trama. Ele e Antony até chegam a revelar que muitas cenas entre Kat e Vilfredo juntos foram gravadas, mas foram excluídas na versão final.

"Com uma estrutura multiplot como a nossa, temos o desafio de manejar vários protagonistas. Eu sempre quis contar a história focando nesse elo feminino, quis explorar essa conexão entre as mulheres " afirmou David Schurmann.

Oscar e polêmica 

A escolha de Pequeno Segredo para representar o Brasil, depois de derrotar 16 produções, causou polêmica, principalmente porque todas as previsões apontavam Aquarius como o escolhido. Não demorou muito para que a produção se visse envolta sob acusações de boicote e jogo político do júri.

Para Schurmann, seu filme foi escolhido por ter mais chances de conquistar a Academia: "Eu acredito que temos sim um filme de qualidade e linguagem diferente. Acredito que a escolha do filme foi merecida e justa. Eu entendi a escolha ainda mais depois de conhecer os votantes. Eles são ex-membros da Academia fora da atividade. São 'velhinhos'. Por isso, eles têm uma forma diferente de avaliar as produções", conta o cineasta.

Para aumentar as chances de ser indicado pela Academia, a equipe do filme contratou o estrategista Steven Raphael, responsável pela campanha que levou O Labirinto Do Fauno e o espanhol Mar Adentro a levarem a estatueta.

"O Brasil sempre leva filmes pesados. Pequeno Segredo, apesar de um filme triste, traz um frescor em relação a isso e deve agradar aos votantes".

Agora, é só esperar pelo anúncio dos indicados ao Oscar, em 24 de janeiro, para saber se a estratégia foi efetiva.

Confira o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus